Colheita de milho alcança 25% da área na safra de verão 2012/2013, aponta consultoria

Para Céleres, atraso na colheita da soja, principalmente no Mato Grosso, pode ter como consequência o cultivo de uma área menor de milho de segunda safra

Canal Rural

Foto: Canal Rural

Na safra de verão, o país cultivou oito milhões de hectares e deve colher 35,9 milhões de toneladas

A colheita do milho chegou a 25% da área cultivada na safra de verão na última sexta, dia 1º,  avanço de cinco pontos porcentuais na comparação com a semana anterior, de acordo com a consultoria Céleres, em informativo divulgado nesta segunda, dia 4. Os trabalhos seguem em ritmo semelhante ao da safra anterior, quando 26% da área havia sido colhida na mesma época do ano passado.
O plantio da safrinha tem trabalhos adiantados, com 63% da área destinada ao grão já semeada, 7,3 pontos porcentuais a mais do que em 2012. Para a Céleres, um atraso na colheita da soja, principalmente no Mato Grosso, pode ter como consequência o cultivo de uma área menor de milho de segunda safra. A semeadura fora da janela ideal pode trazer, também, menor potencial produtivo do grão.
A consultoria mineira manteve projeções de área, produção e produtividade do grão tanto para primeira quanto para a segunda safra do grão. Na safra de verão, o país cultivou oito milhões de hectares e deve colher 35,9 milhões de toneladas, 0,2% abaixo da produção de 2012, e produtividade estimada em 4.452 quilos/ha. Na safrinha, a área cultivada deve alcançar 15,7 milhões de hectares, com produção de 37,14 milhões de toneladas e produtividade de 4.649 quilos/ha.
O avanço da colheita pressiona os preços no mercado interno. Na última semana houve uma redução média de 3,5% nas praças pesquisadas pela Céleres. A comercialização segue lenta, com produtores vendendo da mão para a boca, relatou a empresa.
Este é o último levantamento semanal divulgado pela consultoria, que optou por descontinuar os informativos sobre soja e milho depois de tê-los publicado por mais de 10 anos. A Céleres esclareceu por meio de nota que a decisão reflete as "mudanças ocorridas nos canais de comunicação do mercado agrícola brasileiro".

Agência Estado

Fonte: Ruralbr

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *