CNA debate importância dos índices de referência de preços para negociações de produtos agrícolas

Brasília (23/09/2020) – A Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA) convidou na terça (22), para uma conversa ao vivo, pesquisadores de entidades representantes do setor agropecuário para debater a importância dos índices de referência de preços para as negociações no mercado de produtos agrícolas.

O encontro online foi moderado pelo vice-presidente da Comissão Nacional de Silvicultura da CNA, Moacir Reis, e contou com a participação do gestor de Projetos do Pecege, Haroldo Torres, do pesquisador do Cepea, Carlos Bacha, e da pesquisadora Científica do Instituto de Economia Agrícola (IEA/SP), Marli Mascarenhas.

Em sua apresentação, Haroldo Torres afirmou que indicadores de preços são importantes para minimizar os custos de transação ao longo da cadeia produtiva, auxiliar o produtor no planejamento de compra e estoque de produtos, além de servir como balizadores de mercado.

“As referências de preços são relevantes nas decisões de comercialização. Os agricultores ficam ansiosos para vender quando o preço de mercado está acima do preço de referência, quando o mercado está com tendência de alta e quando há expectativa de queda de preços”, disse.

Segundo o pesquisador Carlos Bacha, alguns produtos agrícolas são negociados no mercado financeiro e precisam de indicador de preços. “Existem outras cadeias que, ao invés do indicador, utilizam o intervalo de preços entre o mínimo e o máximo e o produtor se baseia nisso para obter uma média de preço”.

O representante do Cepea disse que, no setor florestal, há poucos indicadores pela dificuldade de padronização de alguns produtos. “A celulose é o que mais tem indicador, principalmente no mercado internacional. Entretanto, quando se trata de maneira e lenha, por exemplo, a opção é trabalhar com o intervalo de preços”.

Durante o debate, a pesquisadora Marli Mascarenhas apresentou o índice de preços de referência para importação da borracha natural, elaborado pela CNA, em parceria com o IEA. O indicador serve como parâmetro e balizador de negociação para contratos de comercialização dos heveicultores brasileiros.

“O valor médio apurado em um período, acrescido de impostos, frete e encargos, é referência tanto para a compra do coágulo produzido pelos produtores, quanto para venda do Granulado Escuro Brasileiro (GEB) das usinas beneficiadoras para a indústria consumidora. Assim, mantém a uniformidade e justiça na prática dos preços em todos os níveis, da produção à indústria”.

De acordo com Mascarenhas, a borracha natural é uma commodity agrícola negociada em diversas bolsas de mercadorias e futuros pelo mundo, realidade na qual a produção no leste asiático é parcialmente subsidiada pelo estado. “No Brasil, os instrumentos de regulação estão cada vez mais direcionados a conciliação dos agentes de mercado”, destacou.

O vice-presidente da Comissão Nacional de Silvicultura, Moacir Reis, informou que a CNA, junto às federações da agricultura dos estados, estão discutindo a formação de um índice de referência regionalizado para o preço de comercialização da madeira. O objetivo é servir como parâmetro e balizador de negociação para contratos de comercialização entre os produtores de florestas plantadas e as indústrias.

Assista o debate completo:

Assessoria de Comunicação CNA
Telefone: (61) 2109-1419
flickr.com/photos/canaldoprodutor
twitter.com/SistemaCNA
facebook.com/SistemaCNA
instagram.com/SistemaCNA
facebook.com/SENARBrasil

Fonte : CNA

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *