CNA anuncia temas para a Rio+20

Confederação Nacional da Agricultura quer aproveitar a Conferência das Nações Unidas sobre Desenvolvimento Sustentável para mostrar a evolução da agropecuária brasileira

por Luciana Franco

Ernesto de Souza

A senadora Kátia Abreu disse que a integração lavoura/pecuária é uma obsessão da CNA e que a entidade está levando a idéia para todas as regiões do país como opção lucrativa para o produtor rural.

A Confederação Nacional da Agricultura (CNA) divulgou na tarde desta segunda-feira (4/6) os temas que pretende discutir na Confederação das Nações Unidas sobre Desenvolvimento Sustentável, a Rio+20. A idéia dasenadora Kátia Abreu, presidente da entidade, é mostrar a evolução da agropecuária brasileira, desde a época em que o país era importador de alimentos até o momento atual, onde se destaca como protagonista da produção mundial de alimentos.
“Vamos mostrar nossas experiências, entre elas destacamos o Projeto Biomas, que foi criado há três anos em parceria com a Embrapa para desenvolver uma rede de pesquisa agropecuária”, diz. A CNA também vai divulgar a idéia de APP mundial. “Não queremos impor nossas metragens, mas sim divulgar o conceito de preservação dasmatas ciliares, que é de suma importância para as sociedades”, disse.
Também serão apresentadas no evento as práticas e técnicas de produção brasileira, com destaque para os 25 milhões de hectares cultivados pelo sistema de plantio direto (método que não necessita arar a terra, evitando assim a evaporação de CO2). Para a senadora, o cultivo de florestas e a piscicultura são as grandes oportunidades no agronegócio brasileiro e por isso também entraram na agenda.
“A integração lavoura/pecuária é uma obsessão da CNA e estamos levando essa idéia para todas as regiões do país como opção bastante lucrativa para o produtor rural. A idéia da CNA é transformar os ativos das propriedades em lucro para o produtor”, disse.

Outra questão importante se refere ao desmatamento: a CNA divulgou em 2009 na Conferência de Copenhagen o compromisso de reduzir em 80% o desmatamento brasileiro em 20 anos, que era em 2004 de 27 mil quilômetros quadrados. Em 2010, segundo levantamento do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe), o desmatamento era de 6,5 mil quilômetros quadrados. O que mostra que estamos bem próximos de cumprir a meta bem antes do prazo estipulado”, disse a senadora destacando que o Brasil usa apenas 27,7% do território brasileiro para produção de alimentos e preserva 61%.

Fonte: Globo Rural

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *