CMN amplia teto de crédito ao milho

O Conselho Monetário Nacional (CMN) aprovou ontem a ampliação, de R$ 500 mil para R$ 800 mil, no teto adicional para financiamento de custeio nas lavouras de milho e sorgo. Segundo o secretário adjunto de Política Econômica do Ministério da Fazenda, João Rabelo, o objetivo da medida é incentivar o plantio de milho, insumo básico para a produção de suínos e aves. O incentivo ocorre em um momento de pressão inflacionária nos preços do milho, causada pela quebra de safra nos Estados Unidos.
O CMN ainda aprovou uma linha de crédito de R$ 300 milhões para renegociação de dívidas dos produtores de maçã. Poderão ser renegociadas as parcelas vencidas e vincendas de investimento contratadas até 30 de dezembro de 2010, limitadas a R$ 5 milhões. O prazo para pagamento é de até dez anos, incluindo um ano de carência, e os encargos financeiros serão pela Taxa de Juros de Longo Prazo (TJLP), acrescida de 2,5 pontos percentuais ao ano. O diretor executivo da Associação Brasileira de Produtores de Maçã, Moisés Albuquerque, elogiou o esforço do governo federal ao atender o pleito do setor. Contudo, lamentou o fato de que uma parcela dos pomicultores ficará de fora, já que, em muitos casos, o endividamento ultrapassa R$ 5 milhões.

Fonte: Correio do Povo

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *