Cláudio Dilda assumirá Secretaria Municipal do Meio Ambiente

Novo secretário é o décimo titular da Secretaria Municipal do Meio Ambiente em 12 anos

Fernanda Nascimento

ANA PAULA APRATO/ARQUIVO/JC

Dilda tem indicação bem recebida por servidores da área ambiental

Dilda tem indicação bem recebida por servidores da área ambiental

A divulgação do nome de Cláudio Dilda (PMDB) como novo titular da Secretaria do Meio Ambiente de Porto Alegre (Smam), na quinta-feira, encerra o troca-troca na gestão do meio ambiente na Capital e no Estado, após a deflagração da Operação Concutare. Com a prisão temporária do secretário estadual Carlos Niedersberg (PCdoB) e do municipal Luiz Fernando Záchia (PMDB), tanto o governador Tarso Genro (PT) quanto o prefeito José Fortunati (PDT) exoneraram seus subordinados e buscaram quadros técnicos para dar respostas à crise no setor.
O novo secretário chega ao governo com o respaldo dos ambientalistas. Com experiência no setor, pode alterar o quadro de mudanças constantes da Smam. Nas últimas três gestões da Capital – Tarso Genro e João Verle (PT), José Fogaça (ex-PPS e atual PMDB) e José Fortunati (PDT) – o rodízio de secretários foi alto, chegando a 10 gestões em 12 anos.
Dilda foi presidente da Fundação Estadual de Proteção Ambiental (Fepam) durante o governo de Germano Rigotto (PMDB), entre janeiro de 2003 e abril de 2006, de onde saiu para comandar a Secretária Estadual do Meio Ambiente (Sema). A continuidade é vista como benéfica para um setor com tantas mudanças. Conforme reportagem publicada pelo Jornal do Comércio, a gestão de Dilda foi a mais longa dos últimos 10 anos da Fepam.
“O prefeito explicitou a decisão política de fazer com que a Smam efetivamente cumpra suas funções dentro da estrutura administrativa municipal. Isso me deixou seguro no sentido de que vamos ter uma gestão ambiental – no qual a licença é apenas uma parte – rumo à sustentabilidade da cidade”, afirmou. Conforme o novo secretário, o principal desafio neste momento é “constituir em cima deste cenário uma visão de que é preciso mudar”, afirmou Dilda.
O presidente do Semapi – Sindicato das fundações do Estado – e servidor da Fepam, Carlos Alberto Nunes, comemorou o nome do novo secretário. “É uma pessoa técnica, competente, de bom relacionamento com várias instituições ligadas ao meio ambiente”, afirmou.
Nunes também disse que a crise instaurada no setor a partir da operação policial trouxe benefícios para a área. “Os gestores estão se dando conta de que algumas instituições e políticas públicas devem ser conduzidas e elaboradas por quadros técnicos”, afirmou.

Fonte: Jornal do Comércio

Compartilhe!