Clima e demanda firme mantêm preços dos milho em alta, diz Cepea

 

Considerando valores deflacionados, média mensal foi a maior desde 2012.
Oferta é reduzida por causa das exportações volumosas.

Os preços do milho no mercado doméstico avançaram ao longo do mês de fevereiro e seguem sustentados, apontou o Centro de Estudos Avançados em Economia Aplicada (Cepea/Esalq/USP). Considerando os valores deflacionados pelo IGP-DI de janeiro deste ano, a média mensal foi a maior desde dezembro de 2012, segundo o Cepea.

Quem não está feliz com a alta do milho é quem cria animais (Foto: Reprodução/ TV TEM)

Clima e demanda mantêm preços do milho em alta (Foto: Reprodução/ TV TEM)

Na semana passada, o indicador Cepea/Esalq/BM&FBovespa fechou acima dos R$ 43/saca de 60 quilos, alcançando R$ 43,73/saca na sexta-feira, um avanço de 3,46% no mês em relação a janeiro. De acordo com o centro de estudos, os preços "parecem não encontrar resistência e seguem firmes em todas as regiões acompanhadas pelo Cepea".

Segundo os pesquisadores, apesar do avanço da colheita do milho de verão no Sul e Sudeste do País, "chuvas na semana passada dificultaram os trabalhos em algumas regiões, limitando a disponibilidade do grão no spot nacional". Ao mesmo tempo, a demanda, tanto interna quanto externa, continua firme e os estoques domésticos estão baixos.

Além disso, a oferta é reduzida por causa das exportações volumosas do grão na safra atual. Apenas nas três primeiras semanas de fevereiro, os embarques de milho somaram 4,424 milhões de toneladas, segundo dados do Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior (MDIC). Nos 28 dias de fevereiro do ano passado, o País exportou 1,104 milhão de toneladas.

O plantio da safrinha também se mantém no radar dos participantes. A semeadura avança com força. No entanto, apesar da expectativa de aumento na área, há temores quanto aos efeitos do clima nas lavouras das principais regiões produtoras.

Do Estadão Conteúdo

Fonte : Globo

Compartilhe!