Chuvas escassas atrasam início do plantio de soja em Mato Grosso

O plantio de soja da safra 2017/18 já começou nos dois principais Estados produtores da oleaginosa: Mato Grosso e Paraná. Mas, diferentemente do que ocorreu no ciclo 2016/17, o clima não deverá colaborar para novas colheitas recorde. As chuvas mais tardias neste ano já atrasam o andamento dos trabalhos em Mato Grosso.

"Alguns ‘malucos’ começaram o plantio no início da semana, esperando chuvas sábado e domingo", afirmou Endrigo Dalcin, presidente da Associação dos Produtores de Soja e Milho de Mato Grosso (Aprosoja-MT). Segundo ele, já há registro de semedura pontual em Cafezal e em Primavera do Leste, regiões oeste e sudeste do Estado, respectivamente.

De qualquer forma, os trabalhos ainda estão muito no início "Sem chuva, não dá para arriscar. Se chover no fim de semana, muitos devem iniciar os trabalhos", disse. Segundo o Instituto Mato-grossense de Economia Agropecuária (Imea), a perspectiva é de produção de 30,6 milhões de toneladas em 2017/18 no Estado, em 9,4 milhões de hectares. A área deve crescer 0,2% ante o último ciclo, mas, com o clima menos favorável, a produção deve cair 2%.

Para o Paraná, o Departamento de Economia Rural (Deral) da Secretaria de Agricultura do Estado já divulgou os primeiros dados do plantio. A semeadura foi iniciada na semana passada e 1% dos 5,4 milhões de hectares já tem soja plantada. O órgão prevê que sejam produzidas 19,5 milhões de toneladas, 2% a menos que em 2016/17, apesar de uma área 3% maior. As projeções também consideram clima menos favorável.

A soja é o carro-chefe do agronegócio brasileiro. Em 2017, o valor bruto da produção (VBP) do grão no país deverá alcançar R$ 115,3 bilhões, conforme projeção atualizada ontem pelo Ministério da Agricultura. Se confirmado, o montante será R$ 2 bilhões superior ao do ano passado. No total, o VBP da agropecuária nacional deverá crescer 4,1% este ano, para R$ 535,4 bilhões (ver infográfico acima).

Por Kauanna Navarro e Cristiano Zaia | De São Paulo

Fonte : Valor

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *