Chuvas atrasam colheita da cana-de-açúcar em São Paulo

Mesmo com as usinas trabalhando a todo vapor, parte da planta ainda está no campo

Sebastião Garcia | Sertãozinho (SP)

Divulgação/Única

Foto: Divulgação/Única

Elevados volumes de chuva no começo da safra atrasaram início da colheita no Brasil

O clima atrasou a safra de cana-de-açúcar este ano no Brasil. As usinas vão levar mais tempo pra moer o material colhido no campo, o que deve refletir positiva e negativamente no mercado mais tarde.

De abril a novembro, durante o período da safra brasileira, as usinas estão a todo vapor. Segundo o diretor do grupo Viralcool, Antônio Tonielo Filho, que administra três usinas em São Paulo, na de Sertãozinho, no interior do Estado, o volume de cana processada diariamente chega a 4,2 mil, o que produz, no mínimo, 400 mil litros de etanol por dia. As outras duas produzem açúcar e energia também.

A safra deste ano deve ser um pouco mais estendida que a anterior. As moagens devem ir até dezembro, enquanto que em 2011 terminaram um mês antes. O motivo são os elevados volumes de chuva do início da safra, que impediu o início da colheita. Mesmo com as usinas trabalhando firme, ainda resta cana para ser colhida, o que acaba prejudicando o mercado.

A safra no Centro- Sul do Brasil, que corresponde a 90% da produção nacional, está 14% atrasada. Nessa mesma época em 2011, já haviam sido colhidos quase 300 milhões de toneladas de cana, enquanto que neste ano, até o momento, mal chega a 261 milhões.

A cana que está saindo mais tarde da lavoura também está menos produtiva. O chamado ATR, o índice que mede a quantidade de açúcares na planta, está menor do que na safra passada. Até a primeira quinzena de agosto, a quantidade era de 139 kg de açúcares por tonelada, enquanto que na safra passada chegou a 143 kg.

Segundo o representante da União da Indústria da Cana-de-açúcar (Única) na região de Ribeirão Preto, em São Paulo, Sérgio Prado, ainda não é possível fazer alguma projeção para os resultados desta safra.

CANAL RURAL

Fonte: Ruralbr

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *