CHUVA PODE PREJUDICAR PLANTIO DE TRIGO NO PR

Com 67% da área plantada, temor é com a incidência de doenças fúngicas

Os cinco dias de chuva intensa interromperam o plantio de trigo e a colheita da segunda safra de milho e feijão no Paraná. Ontem o mau tempo deu uma trégua, o que pode afastar os riscos de problemas na produtividade e qualidade em áreas prontas para colher e garantir a retomada da semeadura de inverno. A previsão de institutos de meteorologia é de El Niño no segundo semestre. Segundo o diretor do Departamento de Economia Rural (Deral) da Secretaria de Agricultura e Abastecimento do Paraná, Francisco Carlos Simioni, 67% da área com trigo foram plantados e a preocupação é com a incidência de doenças fúngicas devido a alta umidade.

O temor ocorre em uma safra de retomada. Após três anos com área em queda, a previsão é de recorde de 1,3 milhão de hectares com o cereal. Com produtividade estimada de 2,9 mil quilos por hectare seria possível colher 3,8 milhões de toneladas e reassumir a liderança nacional perdida para o Estado. Francisco Carlos Simioni está confiante: ‘Não há problema com o calendário agrícola já que a semeadura é indicada até 15 de julho. Se o tempo firmar tudo isso pode ser revertido.’

Além da preocupação com o trigo, há apreensão com situação do feijão, que já vinha sofrendo com queda de preços, além de estar com uma safra 34% maior. Com 84% da área pronta para a colheita, cerca de 217 mil hectares, é preciso tempo firme para garantir rendimento. No milho, 70% da área localiza-se em áreas afetadas pelo clima. Mas a situação das estradas vicinais, com queda de pontes, impede levantamentos in loco. Pelo mesmo motivo, há dificuldade de escoamento da produção de leite e aves.

Fonte: Correio do Povo

Compartilhe!