CHUVA DEMAIS | Clima prejudica lavouras de trigo

Prejuízos na safra do grão no Estado poderão chegar a 20%, estima pesquisador da Embrapa

Esperança dos produtores que tiveram perdas durante a estiagem na safra de verão, a produção de trigo sofre os impactos do clima nas últimas semanas. Além do vento, do granizo e da geada que prejudicaram as lavouras, a chuva desta semana trouxe excesso de umidade.
Pesquisador da Embrapa Trigo, Eduardo Caierão lembra que o atraso no plantio, devido à seca prolongada, influenciou a cultura do trigo. O grande número de eventos isolados que geraram perdas surpreendeu os técnicos. Nos últimos dias, Caierão visitou propriedades em todas as regiões.
– Temos lavouras com poucos prejuízos e outras com perda total. Ainda esperamos um levantamento mais preciso da Emater, mas creio que podemos chegar a 20% de prejuízos na safra de trigo.
Pelo menos 200 pedidos para encaminhar o Proagro, seguro contra problemas nas lavouras causados pelo clima, foram feitos à Emater. Desde a semana passada, técnicos da instituição e de cooperativas tentam estimar os prejuízos.
– É preciso que o clima dê um tempo para termos um levantamento mais preciso – diz Dulphe Pinheiro Machado Neto, gerente técnico da Emater.
Quem não fez seguro lamenta as perdas. É o caso do produtor de Ijuí Cristiano Fuhrmann, que plantou 70 hectares de trigo para recuperar o prejuízo nas lavouras de milho e soja no verão. A previsão era colher 3 mil sacas, mas caiu pela metade.
– Investimos tudo o que tínhamos para minimizar a perda com o que plantamos no verão – diz o produtor.
*Colaboraram Fernanda da Costa e Rosangela Tatsch
nestor.junior@zerohora.com.br

NESTOR TIPA JÚNIOR*

Os efeitos do tempo

SEMANA DE 17 A 23 DE SETEMBRO

– A incidência de vento e de granizo destruiu lavouras no norte do Estado. Em algumas regiões, o vento causou o acamamento (onde a planta é inclinada e cai sobre o solo) de plantações de trigo. Isso compromete o rendimento da cultura.

SEMANA DE 24 A 30 DE SETEMBRO

– A temperatura baixa e a geada que se formou em regiões do Rio Grande do Sul prejudicaram novamente o trigo. O fenômeno atingiu plantações do cereal. O principal problema é que impede o enchimento de grãos.

SEMANA A PARTIR DE 1º DE OUTUBRO

– A chuva traz o excesso de umidade nas lavouras de trigo. Isso reduz o peso hectolítrico, medida usada para saber a finalidade do cereal (uso na produção de pão, biscoito ou massa), o que significa perda de qualidade.

Fonte: Zero Hora

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *