Chineses e seus produtos têm espaço especial na Agrishow

Mesmo sem falar português, empresários asiáticos conquistam clientes na maior feira de agronegócio da América Latina

por Alana Fraga, de Ribeirão Preto (SP)

Lucas Mamede/Ed. Globo

Empresários chineses têm espaço reservado na Agrishow; produtos custam até dez vezes menos que os nacionais (Foto: Célio Messias)

Assim como na economia mundial, a China também está marcando a sua presença na Agrishow. A maior feira de agronegócios da América Latina, que vai até a próxima sexta-feira (3), em Ribeirão Preto (SP) conta com um pavilhão destinado para os expositores chineses. Motores, peças, acessórios e fertilizantes estão entre os produtos expostos pelas empresas chinesas na feira.
Os panfletos, cartazes e materiais de divulgação escritos em mandarim, ou mesmo os próprios expositores (que muitas vezes não falam o português), não intimidam os visitantes que buscam novidades e bons preços.

Um dos proprietários da fábrica de fertilizantes Agroplanta, de São Paulo, João Roberto Fornereto, procurou o estande da Jinrui Trading, de Shanxi, porque buscava fechar negócios para a compra de ácido úmico de potássio.

O produto, usado na fabricação de fertilizantes para a agricultura orgânica, chega a custar quase dez vezes menos se importado da China. "É muito mais barato, tanto pela facilidade do processo deles quanto da quantidade", diz Fornerete, que negociou com a empresa por meio de uma tradutora do stand.

Lucas Mamede/Ed. Globo

Para a gerente da empresa, Zheng Jiany Ing, a entrada no mercado brasileiro deveria ter começado muito antes. "Estamos muito satisfeitos, vendo que o Brasil tem bastante mercado. Deveria ter vindo antes", comenta ela.

Além da Austrália, Japão, Coreia, Malásia e outros países asiáticos, a a Jinrui Trading exporta para o México e Canadá. O Brasil é o primeiro mercado na América do Sul.

Fonte: Globo Rural

Compartilhe!