Cheques compensados por imagem

Fonte: Valor | Moacir Drska | De São Paulo

Em vigor desde o dia 20, a compensação de cheques por meio da digitalização da imagem movimenta investimentos dos bancos e as estratégias de fornecedores de tecnologias. Sob o novo modelo, a imagem dos cheques é capturada por um scanner e enviada com os dados do documento por meio de um arquivo eletrônico. Não há mais necessidade de transporte do cheque físico, que fica retido na agência até que seja liquidado na compensação digital.

Para Walter Tadeu de Faria, diretor-adjunto de serviços da Federação Brasileira de Bancos (Febraban), a compensação digital é o embrião de um processo mais abrangente. "A partir desse modelo, os bancos poderão eliminar o trânsito de papel e migrar toda a sua documentação para o ambiente digital".

Para os bancos, o principal benefício é a redução de custos. Segundo a Febraban, os bancos gastam cerca de R$ 300 milhões por ano para recolher os cheques nas agências e enviá-los à câmara centralizadora de compensação do BC, muitas vezes por aviões e barcos.

A aposta dos fornecedores de equipamentos está na migração dos bancos para o modelo descentralizado, no qual a captura da imagem é feita diretamente nas agências e o processo é digitalizado de ponta a ponta.

Notícias relacionadas

Compensação de cheque transforma papel em bits

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *