Cereais, Fibras e Oleaginosas,Meio ambiente – Projeto Biomas testa plantio de arroz, feijão-caupi e soja no Sistema de Integração Lavoura-Pecuária-Floresta na Amazônia

Novo plantio de arroz com outro em estágio mais avançado ao fundo

Manaus / Amazônia (29/03/2016) – O mês de março de 2016 está sendo marcado por diversas ações de plantio na área experimental do Projeto Biomas da Amazônia. Em dois anos, o Sistema de Integração Lavoura-Pecuária-Floresta já rendeu 3 safras de milho. Agora, os pesquisadores do Projeto Biomas experimentam o plantio de arroz, feijão-caupi e soja. “Tínhamos pequenas áreas ociosas em meio aos demais subprojetos de pesquisa na Amazônia envolvendo plantios de espécies eminentemente arbóreas. Em contato com a coordenação regional do Projeto Biomas foi possível instalarmos Unidades Demonstrativas no sentido de diversificar ao máximo as opções aos produtores com resultados bem realistas, pois que são conduzidos na própria área experimental” afirma o engenheiro agrônomo Dr. Roni de Azevedo, pesquisador da Embrapa Amazônia Oriental e líder do experimento de Integração Lavoura-Pecuária-Floresta no Projeto Biomas da Amazônia.

A área de 3,5 hectares destinados ao experimento teve o plantio da cultura anual milho com três cultivares comerciais, sendo uma variedade e dois híbridos de milho, no sentido de mostrar aos agricultores da região diferentes níveis tecnológicos e algumas das 477 cultivares de milho disponíveis no mercado aos agricultores na safra 2015/16.


Milho recém-plantado em sistema iLPF com eucalipto de dois anos de idade

Caso as condições climáticas sejam favoráveis e possibilitem um bom desenvolvimento das culturas implantadas, futuramente os resultados serão demonstrados a agricultores, técnicos, professores e alunos da área agrícola da região. “Logicamente que nosso maior foco é o plantio de árvores. Contudo, a diversificação necessária aos produtores passa obrigatoriamente pela adoção de sistemas integrados de produção, onde as culturas anuais atuam compensando financeiramente o uso de áreas produtivas com árvores, pois que proporcionam renda nos primeiros anos enquanto a árvore se desenvolve. Esses testes, que nem eram previstos na concepção original do experimento, respondem de forma extraordinária a perguntas feitas pelos produtores que nos visitam, seja em visitas técnicas ou em dias de campo, sobre quais as melhores opções de plantio em sistemas como esse”, afirma o engenheiro florestal, Dr. Alexandre Mehl Lunz, pesquisador da Embrapa Amazônia Oriental e Coordenador Regional do Projeto Biomas – Amazônia. “Essas culturas impulsionam a tecnificação agrícola nestas áreas, onde seus plantios aumentam exponencialmente a cada ano, e a produtividade potencial é amplamente atrativa”, complementa.

Sobre o Projeto Biomas
O projeto Biomas, fruto de uma parceria entre a Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA) e a Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa), é uma iniciativa inédita no Brasil e tem como objetivo identificar formas sustentáveis para viabilizar a propriedade rural brasileira considerando a árvore em seus sistemas propostos. Os estudos estão sendo desenvolvidos nos seis biomas brasileiros.

O Projeto Biomas tem o apoio do SENAR, SEBRAE, Monsanto e John Deere, e o financiamento do BNDES.

Assessoria de Comunicação da CNA com Embrapa Amazônia Oriental
Texto e Fotos: Alexandre Lunz  e Roni de Azevedo

Fonte : Canal do Produtor