Cereais, Fibras e Oleaginosas – Manejo para controle de doenças nas lavouras de soja é tema de palestra no Dia de Mercado de Grãos

Brasília (05/10/2015) – A preparação adequada do solo para o plantio é o primeiro passo para evitar a disseminação de doenças na lavoura, observando as condições do solo e do clima. Com o manejo bem feito da terra, aliado ao uso correto de defensivos e a aplicação de técnicas como o plantio direto na palha, e o cumprimento do vazio sanitário, aumentam as condições para uma produção estável e uma boa produtividade, impedindo o crescimento de fungos e bactérias, entre outros agentes que atacam as principais culturas agrícolas brasileiras.

No caso da soja, doenças como mofo branco e ferrugem asiática costumam atacar com frequências as plantações da oleaginosa, quando não são tomadas as devidas precauções na hora do plantio. Este será um dos pontos abordados pelo consultor e ex-pesquisador da Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa) José Tadashi Yorinori, uma das principais referências no país em doenças na agricultura. Ele é um dos palestrantes do Dia de Mercado de Grãos, que acontece na próxima quinta-feira (8/10), em Luís Eduardo Magalhães (BA).

O evento, promovido pela Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA), Federação da Agricultura e Pecuária do Estado da Bahia (FAEB) e sindicatos rurais do Oeste do estado, reunirá especialistas e produtores rurais para discutir informações e análises técnicas e econômicas sobre a produção na região, obtidas a partir de dados do programa Campo Futuro, desenvolvido pela CNA e Centro de Estudos Avançados em Economia Aplicada (Cepea) a partir do levantamento de informações sobre a atividade rural nas mais diversas regiões do país.

Considerado por muitos o “pai do vazio sanitário”, período em que o produtor não utiliza plantas vivas na propriedade para proteger o solo contra doenças, Tadashi lamenta a falta de apoio à pesquisa no Brasil, o que poderia auxiliar o produtor rural no combate a doenças que atacam as lavouras de soja. “O Brasil é referência na agricultura graças ao esforço do produtor, que muitas vezes faz tudo por sua conta e risco”, ressalta, defendendo também mais assistência técnica para levar as informações necessárias ao produtor rural.

Assessoria de Comunicação CNA

Fonte : Canal do Produtor

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *