Cereais, Fibras e Oleaginosas – Dia Nacional do trigo: cereal é um dos mais antigos e cultivados pelo homem

Brasília (10/10/2015) – Hoje é o Dia Nacional do Trigo e a Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA) não poderia deixar de lembrar a importância de um dos cereais mais antigos cultivados pelo homem. Registros históricos revelam que o trigo já era produzido, em grande escala, há cerca de 10.000 a.C, em uma região conhecida como Crescente Fértil, que hoje ligaria o Egito ao Iraque. Segundo estimou o Departamento de Agricultura dos Estados Unidos (USDA – sigla em inglês), a safra mundial de trigo, 2015/2016, deve ser de 732,8 milhões de toneladas. Se confirmada a projeção, a produção será 7 milhões maior que 2014, quando acumulou 725,5 milhões.

O trigo é o segundo cereal mais produzido no mundo, atrás apenas do milho. Por ser caracterizado como uma cultura de inverno, o cereal é cultivado principalmente no Paraná e Rio Grande do Sul, mas também pode se adaptar nas regiões de São Paulo, Mato Grosso do Sul e Minas Gerais. “As condições do clima e do solo influenciam na escolha da variedade mais adequada de trigo, que pode ser precoce, quando apresenta um ciclo de três meses e meio, ou tardio, com período de mais de cinco meses”, afirma o assessor técnico da Comissão Nacional de Cereais, Fibras e Oleaginosas da CNA, Alan Malinski.

Dentre os principais alimentos produzidos no mundo, o trigo é o que menos necessita de água. Zonas de clima temperado, com presença de chuvas moderadas e umidade abaixo de 75% são favoráveis para o plantio do cereal. A gramínea é do gênero Triticum e existem mais de 30 mil variedades e 30 espécies no mundo. De acordo com Alan, a espécie mais cultivada é a Triticum aestivum, respondendo por mais de quatro quintos da produção mundial e é muito usada na fabricação da farinha branca.

A qualidade da farinha de trigo está relacionada com a sanidade dos grãos, valor nutritivo, características sensoriais e o estado de conservação da matéria prima. Esses aspectos, juntamente com o tipo do cereal cultivado, são os fatores que definem a utilização no produto final. “Por exemplo: o trigo mole é ideal para confecção de bolos, biscoitos e tortas, o trigo duro que é rico em glúten para os pães e o trigo durum para massas alimentícias, como o macarrão”, explica o assessor técnico. Segundo a consultoria Fartrigo, a principal proteína da farinha de trigo é o glúten, e é ele que determina a qualidade do pão, tornando-o macio e viscoso.

Um dos principais estados produtores do Brasil, o Rio Grande do Sul já atingiu metade da área cultivada. Conforme dados da Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural (Emater/RS), das lavouras que ainda estão em campo 36% estão em fase de maturação e 14% na fase de enchimento dos grãos. A produtividade média oscila entre 1.200 kg/ha e 2.400 kg/ha dependendo da região e do impacto causado pelas geadas e pelas chuvas. Já no Paraná, os agricultores colheram 73% da área de 1,34 milhões de hectares do grão. A expectativa é colher 3 milhões e 600 mil toneladas trigo no estado.

Assessoria de Comunicação CNA

Fonte : Canal do Produtor

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *