CENTRAL DE COMUNICAÇÃO // CNA – FAO lança livro sobre agricultura irrigada sustentável no espaço Sistema CNA/SENAR/ICNA

Alan Bojanic, João Martins, Tereza Cristina e o deputado Marcos Montes

Alan Bojanic, João Martins, Tereza Cristina e o deputado Marcos Montes

Brasília (20/03/18) – A Organização das Nações Unidas para Agricultura e Alimentação (FAO) lançou o livro Agricultura Irrigada Sustentável no Brasil: Identificação de Áreas Prioritárias, no espaço do Sistema CNA/SENAR/ICNA, no 8º Fórum Mundial da Água, nesta terça-feira (20).

A cerimônia contou com a presença do presidente da Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA), João Martins, que escreveu o prefácio da obra. A publicação identifica as áreas prioritárias para o desenvolvimento da agricultura irrigada e aponta que o Brasil tem potencial para duplicar as áreas irrigadas.
"Esse livro vai ao encontro do que a CNA ultimamente vem fazendo. Estamos buscando parcerias com diversas instituições que possam proporcionar benefício ao produtor rural. Essa é uma obrigação da CNA. É buscar, constantemente, de que maneira pode levar conhecimento ao produtor rural", afirmou João Martins.

João Martins

O livro disponibiliza informações baseadas em critérios técnicos, ambientais, de infraestrutura e de disponibilidade hídrica para entidades públicas, privadas, pesquisadores, estudantes e sociedade em geral.

Segundo o representante da FAO no Brasil, Alan Bojanic, é fundamental poder identificar que o Brasil tem, no mínimo, 4,5 milhões de hectares disponíveis para serem irrigados e aumentar a produção. Para ele, a população mundial está crescendo rapidamente e essas pessoas dependerão dos alimentos produzidos no País.

“O Brasil, pelas condições tropicais que tem, pela disponibilidade de terra que tem, pelos produtores empreendedores que tem, precisará fazer esses investimentos para estabilizar a produção irrigada”, afirmou.

Alan Bojanic

Convidados – O presidente da Embrapa, Maurício Lopes, destacou que o Brasil tem uma riqueza hídrica assimetricamente distribuída e o seu mapeamento dará suporte para o crescimento do País frente às mudanças climáticas.

“O Brasil precisa trazer a irrigação como uma alternativa de segurança, de renda e de produtividade, fazendo isso de maneira inteligente, planejada e sustentável. É justamente isso que essa obra faz”.

Maurício Lopes

A presidente da Frente Parlamentar da Agropecuária (FPA), a deputada federal Tereza Cristina, acredita que está na hora do Brasil “abraçar” essa tecnologia, pois conta com muitas áreas que podem receber programas de irrigação.

“Nós podemos utilizar essa água com responsabilidade, ajudando o meio ambiente, porque quando você produz duas ou três vezes na mesma área, você não está expandindo fronteiras agrícolas, além de estar duplicando ou triplicando o potencial de produção”, disse ela.

Tereza Cristina

Um exemplo disso é Guilherme Oliveira, filho de produtor rural. Ele afirma que na propriedade rural da família, na Bahia, a irrigação faz diferença na produção.

“Com a irrigação temos a possibilidade de produzir mais na mesma área  e, assim, diminuir a pressão sobre o meio ambiente, não abrindo novas áreas e tendo várias safras por ano”.

Guilherme Oliveira

Assessoria de Comunicação CNA
Fotos: Wenderson Araújo e Tony Oliveira

Fonte : CNA

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *