CANA-DE-AÇÚCAR – Falta espaço para armazenar etanol

O fenômeno decorre da safra mais alcooleira em 2018/19

O fenômeno decorre da safra mais alcooleira em 2018/19

FOTO: DIVULGAÇÃO

Os elevados estoques de etanol no Centro-Sul do Brasil podem levar usinas a postergar o início da próxima safra de cana na região, já que a falta de espaço para armazenamento limitaria as operações, de acordo com especialistas do setor, que apontam também questões climáticas como um fator importante.

A temporada 2019/20 no Centro-Sul começa oficialmente em abril e a expectativa é que o segmento mantenha o foco na fabricação de etanol, diante da melhor remuneração do biocombustível frente o açúcar.

As reservas de etanol na região até 1º de fevereiro somavam cerca de 6 bilhões de litros, alta de 25% na comparação anual, conforme dados do Ministério da Agricultura (Mapa). Do total, 2,4 bilhões de litros são de anidro e, 3,6 bilhões, de hidratado.

O analista da INTL FCStone, Matheus Costa, avalia que se a demanda não for suficiente para desovar esses estoques na intensidade necessária, as usinas poderão lançar mão de algumas estratégias para lidar com o problema de tancagem. “A grande questão é saber se haverá demanda para absorver esses excedentes, caso não consigam tirar todos esses estoques. Pode ser que as usinas optem por um mix mais açucareiro no começo da safra ou optem por atrasar um pouco a safra, por postergar o início da colheita”, disse à Reuters.

Lado das usinas

O CEO da Biosev, Juan José Blanchard, disse que a empresa está de olho na previsão de chuvas. “Acho que vamos esperar a recuperação do canavial para começar a moagem”, comentou, referindo-se aos estoques da companhia.

Já o diretor financeiro da São Martinho, Felipe Vicchiato, destacou em teleconferência com analistas e investidores nesta semana que a forte produção do combustível na temporada 2018/19, além de elevar os estoques, “machucou” o mercado de etanol.

DA REDAÇÃO E AGÊNCIAS • SÃO PAULO

Fonte : DCI