CAMPO E LAVOURA – Volta ao mercado chinês

Principal destino da carne exportada pelo Brasil em 2020, a China retomou as compras de mais três frigoríficos que haviam sido suspensos. Estão na relação as unidades de suínos da Aurora, em Chapecó (SC), e da JBS de suínos, em Três Passos, e de frango, em Passo Fundo (foto). Conforme o Ministério da Agricultura, ainda existem duas plantas do Brasil que estão com a habilitação para a exportação ao país asiático suspensas.

A medida afetou também outras empresas e foi tomada no ano passado, após as notícias de confirmação de casos de covid-19 em frigoríficos brasileiros. A restrição da Aurora havia sido imposta no início deste mês.

A JBS informou que, com a liberação das operações no Rio Grande do Sul, chegam ao fim todas as restrições impostas pelas autoridades chinesas ao longo do ano passado. Em comunicado, a empresa afirmou que a retomada reflete o trabalho da empresa em implementar "os mais altos níveis sanitários e de qualidade". Acrescenta ter feito investimento de R$ 2,8 bilhões em unidades de todo o mundo para implementar medidas de proteção para os funcionários e em auxílio a locais afetados pela pandemia.

Com 25 plantas, de bovinos, suínos e frango, aptas a exportar para a China, a JBS diz ter adotado medidas complementares, como a sanitização de insumos usados na produção de alimentos e do interior de contêineres antes e depois de serem carregados, alinhando-se a práticas das autoridades do país asiático.

No Rio Grande do Sul, outras duas plantas, da BRF e da Minuano, ambas em Lajeado, haviam sido suspensas. Em novembro, a BRF de suínos retomou os embarques.

Está marcada para hoje reunião com a ministra da Agricultura, Tereza Cristina, sobre medidas de apoio a produtores afetados pela estiagem no Estado. Participam audiência o presidente da Frente Parlamentar da Agricultura Familiar, Heitor Schuch, e representante da Fetag-RS. Entre as propostas que serão debatidas estão a suplementação do Pronaf Mais Alimentos e reformulação do crédito emergencial.

gisele.loeblein@zerohora.com.br

GISELE LOEBLEIN

Fonte : Zero Hora

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *