CAMPO E LAVOURA – Uma abertura diferente

Uma abertura oficial de colheita do arroz completamente diferente das já realizadas no Rio Grande do Sul, com atividades presenciais e transmissão ao vivo pela internet. Assim começou ontem, em Capão do Leão, no Sul do Estado, a 31ª edição do tradicional evento que simboliza o início da entrada da safra 2020/2021 do cereal no Estado. A programação se estende até quinta-feira.

Na estreia do formato híbrido, o primeiro dia de programação teve fóruns e debates sobre os rumos da orizicultura, visitação de produtores às vitrines tecnológicas da Estação Experimental Terras Baixas da Embrapa Clima Temperado e participação virtual da ministra da Agricultura, Tereza Cristina. Por causa da pandemia de coronavírus, os visitantes tiveram de respeitar protocolos sanitários, como uso de máscara e álcool em gel e manter distanciamento social.

O presidente da Federação das Associações de Arrozeiros do Rio Grande do Sul (Federarroz), Alexandre Velho, destaca que o formato híbrido poderá permanecer nas próximas edições. O dirigente afirma que o produtor de arroz precisa cada vez mais diversificar as atividades na propriedade para garantir a viabilidade da lavoura do cereal:

– Não acreditamos na monocultura. O agricultor tem de se reinventar, olhar para o lado e ver o que produtores de sucesso estão fazendo.

Em participação por vídeo, enviada com antecedência, a ministra Tereza Cristina disse que o governo trabalhará para disponibilizar mais recursos ao setor no Plano Safra e enalteceu a abertura de novos mercados do arroz brasileiro. Na quinta-feira, o vice-presidente da República, Hamilton Mourão, deverá vir ao Estado para participar do ato oficial de abertura da colheita.

fernando.soares@zerohora.com.br

FERNANDO SOARES – INTERINO

Fonte : Zero Hora

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *