CAMPO E LAVOURA – Setor de máquinas acelera quase 30% em novembro

Puxado pela alta demanda dos produtores, o setor de máquinas agrícolas só não cresce mais porque tem sido forçado a puxar o freio em razão da carência de componentes. Dados da Associação Brasileira de Fabricantes de Veículos Automotores (Anfavea) mostram que, em novembro, o aumento nas vendas (foram 4,3 mil unidades) foi de quase 30% na comparação com igual período do ano passado.

No acumulado de 2020, o avanço é de 3,8% (com 42,1 mil unidades) em relação a mesmo período de 2019. Um resultado importante, considerando os estragos à economia em razão dos efeitos da covid-19.

– É uma demonstração da agricultura brasileira de continuar trabalhando, mesmo com as dificuldades desse momento de pandemia, para ajudar a alimentar não só o Brasil como outros países também – pontuou Ana Helena de Andrade, vice-presidente de Máquinas Autopropulsadas da Anfavea.

O setor agropecuário não parou, e os resultados positivos colhidos no país, associados a valorizações históricas, em reais, das commodities, foram combustíveis das boas vendas de equipamentos. Presidente do Sindicato das Indústrias de Máquinas e Implementos Agrícolas (Simers), Claudio Bier afirma que, mesmo no Estado, onde a estiagem impactou a produção, o desempenho é positivo:

– O setor está aquecidíssimo. As indústrias estão marcando para março de 2021 as entregas.

Para o avanço de dois dígitos registrados em novembro, Bier avalia que pesaram as vendas represadas e o período de plantio, em que agricultores buscam mais as tecnologias. O dirigente reforça que o grande gargalo do momento é a falta de componentes.

Tem muita empresa com máquina pronta, só faltando coisas como a parte hidráulica, para a finalização.

Outro fator considerado um impulsionador da busca por máquinas e implementos são as vendas antecipadas da próxima safra. Com mais um mês de negócios para contabilizar, o segmento deve encerrar o ano com expansão, mesmo que pequena. Nada mau para quem vinha considerando repetir a dose de 2019 um bom resultado.

gisele.loeblein@zerohora.com.br

GISELE LOEBLEIN

Fonte : Zero Hora

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *