CAMPO E LAVOURA – Segurança reforçada até "no ar"

Com a história ligada ao combate à febre aftosa, o Laboratório Federal de Defesa Agropecuária no Rio Grande do Sul, órgão do Ministério da Agricultura, está programado para ampliar a capacidade de análise de doenças, principalmente, as vesiculares (como a febre aftosa).

Uma reforma viabilizará a expansão. A obra deve ser licitada neste ano e começar em 2022, explica Fabiano Barreto, coordenador do laboratório no RS.

Para garantir o nível de biossegurança necessário, o projeto precisa passar por avaliação do sistema de tratamento de ar (composto por filtros e controle de pressão que asseguram que agentes biológicos não escapem do ambiente). Uma empresa especializada foi contratada para a tarefa, com investimento de R$ 35,7 mil, feito por meio do Fundo de Desenvolvimento e Defesa Sanitária Animal (Fundesa).

NO RADAR

A Procuradoria-Geral do Estado e o Ministério Público Estadual entraram com ação civil pública de responsabilidade contra a empresa Adama. Conforme as instituições, foi a única fabricante do herbicida 2,4-D a não aderir ao acordo para mitigação de danos causados por deriva no RS. Em nota, a indústria disse não ter sido notificada sobre a ação e ressaltou que o produto "está regularmente registrado perante autoridades federais e estaduais".

gisele.loeblein@zerohora.com.br

GISELE LOEBLEIN

Fonte : Zero Hora

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *