CAMPO E LAVOURA | Safra de uva histórica no RS terá números revisados Ainda sem acordo

A Secretaria Estadual da Agricultura sinalizou que irá revisar os números da safra gaúcha de uva divulgados na semana passada. Os dados da colheita histórica, considerada uma das melhores que o Rio Grande do Sul já teve, foram questionados por dirigentes do setor vitivinícola. A variação acentuada na produção de determinadas variedades da fruta e no volume de fabricação de bebidas são alguns dos pontos de divergência.

Em um ano marcado pela estiagem no Estado, a safra teria atingido 504,8 mil toneladas, queda de 18% frente 2019, conforme o balanço divulgado. O dado geral coincide com as projeções iniciais do setor, que indicavam retração de 20% no volume retirado dos parreirais. No entanto, chamou a atenção o crescimento de 44% nas uvas viníferas (destinadas à fabricação de vinhos finos), que chegariam a 101,9 mil toneladas.

– As regiões com uvas viníferas sofreram menos com a estiagem e não foram tão afetadas por granizo, mas esperávamos que o volume ficasse estável ou crescesse pouco em relação às 70 mil toneladas de 2019 – afirma Deunir Argenta, presidente da União Brasileira de Vitivinicultura (Uvibra).

Além disso, a parcial divulgada apontava produção de 338,2 milhões de litros de vinho, destacando o crescimento de 51% nos tintos de mesa e de 40% nos rosados finos. Já a produção de sucos de uva chegaria a 129,7 milhões de litros, com expansão de 61%, e os espumantes atingiriam 15,9 milhões de litros, elevação de 75%. Em média, são necessários 1,3 quilo de fruta para a elaboração de cada litro de bebida.

– Não temos dúvida sobre a qualidade da safra, mas o volume de uvas colhido e o de produtos elaborados não batem – diz Cedenir Postal, presidente da Comissão Interestadual da uva.

A chefe da divisão de Inspeção de Produtos de Origem Vegetal da secretaria, Fabíola Lopes, destaca que a pasta fará a checagem dos dados inseridos pelas empresas no Sistema de Cadastro Vinícola do Estado (Sisdevin).

– O Sisdevin é um sistema declaratório. O que pode ter ocorrido são relançamentos das declarações – relata.

O processo de revisão dos números deve ser concluído até o final da semana.

Ainda sem acordo

Os técnicos agrícolas da Emater recusaram, em assembleia, proposta de acordo coletivo para a categoria e deverão propor a reformulação do plano de carreira dos servidores. O texto reprovado por 167 profissionais, totalizando 99% dos votos, não previa reajuste salarial e contemplava a retirada da multa por atraso no pagamento de salário, fim de anuênio e decênio, além de modificações em cláusulas sociais como as licenças paternidade e maternidade.

O vice-presidente do Sindicato dos Técnicos Agrícolas do Estado (Sintargs), Vinicius Manfio, afirma que os servidores realizaram uma contraproposta, cedendo em alguns dos pontos. Entre as sugestões estão reajuste zero neste momento desde que haja negociação das perdas em 2021, mudança da data de pagamento do segundo para o quinto dia útil do mês e redução da licença paternidade com a licença maternidade sendo mantida em seis meses.

Outro ponto defendido pelo Sintargs é a reformulação do plano de carreira junto à diretoria da Emater e ao governo estadual.

– Muitos colegas pediram demissão ou licença nos últimos anos para trabalhar na iniciativa privada. Com um plano de carreira, poderíamos conter a saída de profissionais – argumenta Manfio.

O presidente da Emater, Geraldo Sandri, ressalta que a negociação do acordo coletivo é conduzida pelo Grupo de Assessoramento Especial (GAE) ligado à Secretaria da Fazenda. No entanto, o dirigente diz que há disposição para debater a reformulação do plano de cargos e salários dentro de uma comissão paritária.

No radar

A Associação Brasileira de Proteína Animal (ABPA) divulga na quarta-feira os números da produção de aves e suínos no primeiro semestre deste ano.

No período, as exportações de carne suína do Brasil cresceram 37% em volume, enquanto as vendas externas de carne de frango tiveram queda de 12% em relação a 2019.

fernando.soares@zerohora.com.br

FERNANDO SOARES | INTERINO

Fonte: Zero Hora

Compartilhe!