CAMPO E LAVOURA | RS finaliza o plantio da safra de trigo nesta semana

Com previsão de tempo firme nos próximos dias, o Rio Grande do Sul deverá finalizar o plantio da safra de trigo nesta semana. A principal cultura de inverno do Estado está com 97% da semeadura concluída, de acordo com levantamento da Emater. Nas últimas duas semanas, as chuvas intensas dificultaram o término do cultivo em locais como a Serra e o Sul.

Nas principais regiões produtoras do Estado, como o Noroeste e o Norte, a etapa inicial já foi superada. No entanto, o volume expressivo de chuva e os ventos intensos entre o final de junho e a primeira quinzena de julho trouxeram problemas para alguns produtores. Ao redor de Frederico Westphalen, as baixas temperaturas e a pouca luminosidade dificultaram a realização dos controles de invasoras e doenças. Já no entorno de Santa Rosa, o tempo instável provocou erosão do solo e complicou a realização da adubação nitrogenada.

Ainda assim, o diretor técnico da Emater, Alencar Rugeri, ressalta que a perspectiva de crescimento da área cultivada nas propriedades gaúchas se confirmou. Neste ciclo, o Estado terá 915,7 mil hectares do cereal, expansão de 20,3% frente a 2019. Para Rugeri, apesar das recentes dificuldades climáticas, a cultura se desenvolve bem.

– Eventos extremos, como os que ocorreram, causam alguns danos, mas é muito cedo para falarmos em prejuízos no trigo. Até porque este é o período de menor risco que temos para a cultura – salienta Rugeri.

O presidente da comissão do trigo da Federação da Agricultura no Estado (Farsul), Hamilton Jardim, enfatiza que as áreas afetadas pelo excesso de umidade ainda podem se recuperar. Neste sentido, ele recorda que o período definidor da qualidade da safra é setembro, quando o desenvolvimento das lavouras já está na fase final. Paralelamente, a trajetória dos preços segue favorável ao produtor.

– Os estoques de passagem estão baixos e a tendência é que os preços se mantenham altos pelo menos até a entrada dessa nova safra (a partir de outubro) – destaca.

Atualmente, o preço da saca está cerca de 30% maior em relação ao mesmo período de 2019. A perspectiva de boa rentabilidade é um dos fatores que motivaram agricultores gaúchos a reforçarem a aposta no trigo neste ano.

fernando.soares@zerohora.com.br

FERNANDO SOARES – INTERINO

Fonte: Zero Hora

Compartilhe!