CAMPO E LAVOURA – Rotação de culturas para driblar custo

O "antídoto" para a alta nos custos de produção de arroz está dentro da propriedade. A Federação das Associações de Arrozeiros do Estado (Federarroz-RS) orienta que os arrozeiros ampliem a rotação de culturas e diminuam a área cultivada com o grão no próximo ciclo. A estimativa é de que será preciso pelo menos 170 sacas por hectare para cobrir as despesas do agricultor, aponta o presidente da Federarroz, Alexandre Velho. Na safra colhida, foram 159,05 sacas por hectare para cobrir o custo, segundo dados do Instituto Rio Grandense do Arroz.

O dirigente também faz um alerta sobre a possibilidade de não haver água suficiente para cultivo do mesmo tamanho de área que o da safra passada.

19,83% é o percentual do índice de custos de produção no acumulado de 12 meses. A variável faz parte do levantamento mensal da inflação do agronegócio, que calcula também preços recebidos, e é medido pela Federação de Agricultura do Estado (Farsul). O avanço dos gastos está bem acima da alta do IPCA em igual período, de 8,06%.

gisele.loeblein@zerohora.com.br

GISELE LOEBLEIN

Fonte : Zero Hora

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *