CAMPO E LAVOURA | Resultado planejado

Com diferentes ramos de atividade, a Cooperativa Languiru, que tem sede em Teutônia, no Vale do Taquari, conseguiu fechar o desafiador ano de 2020 com um faturamento histórico de R$ 1,84 bilhão, crescimento de 27,5% sobre 2019. Também chegou à maior cifra de sobras: R$ 10,9 milhões. Na área de proteína animal, o desempenho foi puxado pela carne suína, que teve a exportação favorecida. Depois vieram o leite e a carne de aves. O presidente Dirceu Bayer acrescenta outro ingrediente que ajudou a melhorar os resultados:

– Estrategicamente, o que nos ajudou a melhorar esse resultado foi a decisão de compra antecipada de milho, para o ano todo. Mesma iniciativa para este ano.

 

 

O grão entra na composição da ração animal, tanto de aves quanto de suínos. No caso do frango, acabou pesando mais em razão de o mercado externo não estar tão favorável. Tanto que, neste ano, mesmo com o recurso da aquisição antecipada, a cooperativa optou por reduzir o ritmo da produção – do alojamento ao abate – para equilibrar as contas. A unidade de Westfália, que teve a ampliação concluída em abril de 2020, tem tido abate diário de 110 mil animais, 27,9% a menos, o que também reduziu 150 vagas.

 

 

O consumo retraído têm impactado a demanda no mercado interno, com custos que seguem em alta. Na produção de suínos (na foto, o frigorífico de Poço das Antas), o que tem ajudado a equilibrar é o mercado externo. A cooperativa tem entre os principais destinos Cingapura, Argentina e Uruguai.

 

 

– Aumentamos 50% em março (a exportação), na comparação com fevereiro. O que antes representava 10% dos negócios, hoje representa 15% – reforça.

 

 

Para este ano, novos itens estão sendo agregados ao portfólio. A Languiru está entrando no segmento de soja, realizando a compra do grão, para abastecer três indústrias. Também vai usar estrutura de um frigorífico para dar início ao abate de bovinos.

 

 

23,05 mil

 

 

foi o saldo de empregos formais na agropecuária em fevereiro, conforme dados do Caged compilados pela Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil. Esse foi o melhor resultado para o mês desde 2011. As atividades que mais geraram vagas foram o cultivo de soja, em plena safra, e a criação de bovinos.

 

gisele.loeblein@zerohora.com.br

GISELE LOEBLEIN
Fonte: Zero Hora

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *