CAMPO E LAVOURA | Produtores familiares buscam mudança no teto de isenção do IR

É com argumentos numéricos que agricultores familiares buscarão convencer da necessidade de reajuste no valor utilizado como teto para a isenção da declaração do imposto de renda – hoje em R$ 142.798. Técnicos da Federação dos Trabalhadores na Agricultura do Estado (Fetag-RS) realizaram um levantamento que aponta uma defasagem de 113,09% em pouco mais de duas décadas. E que para fazer frente a essa diferença, o limite para a isenção deveria ser R$ 304 mil.

Tendo os índices do IPCA como referência, o documento mostra que hoje a não tributação abrange quem recebe até 1,73 salário mínimo. Há 24 anos, a relação era outra: até nove salários mínimos.

Apenas em cinco anos o reajuste nas faixas de cobrança do IR superou a inflação – que alcançou 346,6% nesse período.

– Hoje se atinge muito facilmente o teto, porque é sobre a renda bruta. É um problema que se acentua no sul do país, onde a atividade está inserida no contexto de plantio – avalia Carlos Joel da Suilva, presidente da Fetag-RS, que está mobilizada com a Contag, entidade nacional.

Na próxima terça-feira, está prevista uma reunião virtual com o secretário Especial da Receita Federal, José Barroso Tostes Neto, para tratar do tema. Deve ser reforçada a necessidade de mudança no projeto de lei 2.337, que altera a legislação de isenção de IR.

– A proposta será levada por dois caminhos. Para o Executivo, mas também para o relator do projeto (na Câmara). Porque os preços dos produtos aumentaram bem e isso está levando produtores pequenos para cima do limite – afirma o presidente da Frente Parlamentar da Agricultura Familiar, Heitor Schuch.

Ele pontua que a tabela está congelada desde 2015.

Sucessão que se faz desde o berço

Mais do que nutrir os animais e reforçar os parâmetros de qualidade na produção de leite, o Clube da Terneira entra em campo para alimentar a sucessão na Languiru. Com sede em Teutônia, no Vale do Taquari, a cooperativa criou o projeto com foco nos filhos de associados, com idades entre sete e 17 anos. As crianças e adolescentes vão "apadrinhar" uma terneira, ficando responsável por esse animal. Técnicos acompanharão de perto os cuidados, em visitas agendadas e surpresas, até novembro de 2022.

A ideia, explica Mauro Eduardo Aschebrock, gerente de Fomento Leite da Languiru, é não só cativar, mas também aproximar esse público da produção agropecuária.

Em Colinas, Augusto Miguel Lohmann, de 11 anos, já entrou para o clube, tocando uma tarefa que já tinha o hábito de fazer, mas agora dentro do concurso. Todas as atenções estão em Mimi, que nasceu no último dia 9.

– Sou uma pessoa que gosta bastante de desafios e, como eu, vejo meu filho bem junto de nós na propriedade, interagindo, querendo auxiliar, e ele ajuda bastante quando as terneiras são pequenas. Achei que seria interessante participar – conta a mãe de Augusto, Aline Lohmann.

Nessa primeira edição, serão 50 participantes. Ao término, serão selecionadas as terneiras campeãs. Os critérios? Cuidados, genética e ganho de peso diário.

Na feira, com medalha

A ministra da Agricultura, Tereza Cristina, sinalizou que participará da Expointer. Será o terceiro ano consecutivo em que prestigiará o evento, dessa vez com um motivo extra: receber a medalha Assis Brasil, honraria entregue pelo governo do Estado a pessoas com relevante contribuição ao agronegócio. O ato ocorre em meio à solenidade da abertura e desfile dos campeões, marcados para o dia 10 de setembro – a feira vai de 4 a 12 de setembro. A resposta positiva ao convite foi dada à secretária de Agricultura, Silvana Covatti, que esteve em Brasília.

– Todos têm um respeito muito grande pelo agro do Rio Grande do Sul. E a participação da ministra é importante pela valorização do setor, pelo momento de retomada e pela safra recorde – diz Silvana.

A indicação da ministra para o recebimento da medalha foi da pasta estadual de Agricultura. Classificando a Expointer como "uma das principais feiras da agropecuária brasileira", Tereza Cristina acrescentou que, enquanto estiver no ministério, participará de todas as edições.

Outras autoridades também deverão estar presentes, como o vice-presidente Hamilton Mourão. O convite ao presidente Jair Bolsonaro será feito em agenda marcada para o dia 24.

Neste ano, a exposição voltará a ter visitantes, com um limite diário de 15 mil, entre outros protocolos sanitários elaborados com a Secretaria da Saúde.

O clube da terneira

O Clube da Terneira é voltado a filhos de associados da Languiru. Nessa primeira edição, serão 50 participantes. Os animais devem ser das raças holandesa ou jersey, e ter nascido entre 1º de agosto e 31 de outubro – data que se encerram as inscrições. Também devem ser fruto do melhoramento genético da cooperativa

terminam neste domingo, dia 15, as Inscrições para o 9º Vencedores do Agronegócio e o 5º Elas no Agro, premiações promovidas pela FEDERASUL. os vencedores serão conhecidos no próximo dia 26. e receberão os troféus, no dia 9 de setembro, em evento híbrido. Podem participar profissionais e empresas que tenham contribuído para o desenvolvimento do Estado a partir do agronegócio. informações em federasul.com.br.

GISELE LOEBLEIN

Fonte: Zero Hora

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *