CAMPO E LAVOURA | Período de safra pede cuidado dobrado em relação à covid-19

Na lista das atividades essenciais, a agropecuária se mantém ativa em meio à pandemia para garantir o abastecimento da população. Um ano depois da confirmação do primeiro caso no Rio Grande do Sul, o vírus produziu um cenário ainda mais grave. Esse fator, aliado à chegada de novo período de safra, motivou o Núcleo de Estudos em Sistemas de Produção de Bovinos de Corte e Cadeia Produtiva (Nespro) da UFRGS a produzir peças informativas para reforçar a necessidade de medidas de proteção no campo.

– Se estraga uma máquina na colheita, é preciso chamar alguém para consertar. E tem o vaivém de caminhões. Na pecuária, este é o momento de comercialização de terneiros, de implantação de pastagens. Aumenta a circulação de pessoas. Tudo isso deixa a zona rural muito vulnerável – pontua Júlio Barcellos, coordenador do Nespro.

O material tem sido disponibilizado para entidades do setor. A regra da prevenção vale para quem chega e para quem está na propriedade.

A médica Andréa Dal Bó, da Sociedade Rio-Grandense de Infectologia, alerta para a falsa ideia de que espaços abertos não oferecem risco:

– A covid-19 não escolhe local, raça, sexo, idade. Hoje, não existe nenhum canto do Brasil que esteja livre. Em qualquer local pode haver a disseminação. Ser a céu aberto ajuda, mas não adianta se as pessoas estiverem sem máscara e não respeitarem a distância.

Outra ponderação da infectologista é em relação à presença de pessoas de fora que vêm ao Estado trabalhar na safra. Com a maior circulação de pessoas, o vírus também tende a circular mais. Mesmo nas propriedades familiares é necessário buscar ajuda.

– Máquinas, equipamentos de trabalho, o agricultor tem de ter muito mais cuidado nesse período de safra porque não está só a família na propriedade – reforça Maribel Costa Moreira, diretora responsável pela área de Saúde da Fetag-RS.

Eduardo Condorelli, superintendente do Senar-RS, entende que produtores têm se preocupado, até pelas "dificuldades de acesso aos recursos de saúde no meio rural". E recomenda o cuidado, principalmente das pessoas com mais idade nas idas à cidade:

– Quando se deslocarem à cidade, relembrem todos os protocolos de saúde, de higiene e de cuidados que devem ter.

gisele.loeblein@zerohora.com.br

GISELE LOEBLEIN

Fonte: Zero Hora

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *