CAMPO E LAVOURA | Os pontos de atenção

Na reunião com as entidades organizadoras da Expointer, a Secretaria de Agricultura apresentará os apontamentos prévios feitos pela pasta da Saúde em relação à organização do evento em tempos de pandemia. O encontro deve ocorrer na próxima semana. Na quinta-feira, o governo confirmou mudança de data, para o período de 26 de setembro a 4 de outubro.

A operação do parque de diversões, que fica logo na entrada do parque Assis Brasil, em Esteio, por exemplo, foi desaconselhada. Outro ponto de atenção, que exige protocolo de acordo com as normas vigentes, é a área de alimentação. São ações como distanciamento entre as mesas, uso de máscara e higienização com álcool gel.

O parque, que celebra em 2020 50 anos, tem uma ampla área: 141 hectares nos quais existem 45,3 mil metros quadrados de pavilhões cobertos, 70 mil metros quadrados de área para exposição, 20 locais para julgamentos e nove destinados a leilões e auditórios.

Segundo o secretário da Agricultura, Covatti Filho, todos esses detalhes serão debatidos com as entidades. Empresas de licitações para serviços também estão sendo chamadas para que seja feita, se for necessária, a correção da proposta.

A nova data e o formato diferente para a exposição, que deverá ficar menor, podendo inclusive ter restrição de público, gerou reações diferentes entre os parceiros na organização. A posição da Organização das Cooperativas do Estado (Ocergs), por exemplo, é de que a feira não deveria ser realizada neste ano:

– Neste momento, estamos pensando em vidas humanas. Isso se sobrepõe à questão econômica. Não sei se no fim de setembro teremos um clima melhor do que hoje – pondera Vergilio Perius, presidente do Sistema Ocergs/Sescoop-RS.

gisele.loeblein@zerohora.com.br

GISELE LOEBLEIN

Fonte: Zero Hora

Compartilhe!