CAMPO E LAVOURA | Novidade no crédito que começa pelo RS

É com um projeto-piloto no Rio Grande do Sul, que será detalhado hoje, que o Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) se insere na posição de garantidor de financiamentos rurais, dentro das chamadas operações estruturadas de crédito. É por meio delas que o setor busca ampliar a fonte de recursos para que produtores possam financiar custos e investimentos da atividade.

A aprovação da lei 13.986 (oriunda da chamada MP do Agro), no ano passado, regrou de forma mais clara a participação do capital privado no financiamento do setor, com a possibilidade de investimentos de pessoas físicas por meio da compra de títulos, como, por exemplo, os certificados de recebíveis do agronegócio (CRA).

Para o produtor, os mecanismos se tornam uma opção para além das instituições financeiras tradicionais na hora da busca por dinheiro para custear a produção e investir na atividade. E vêm como resposta à demanda do agronegócio, diante dos sinais de esgotamento do sistema convencional, em que o governo entra com dinheiro para equalização de juro. Com recursos cada vez mais escassos, o governo mira suas ações na viabilização do seguro rural.

O piloto no Brasil foi feito para a Cotrijal, após um longo processo de construção, com Ministério da Agricultura, Farsul e BNDES, que entra como garantidor. Na terça-feira, foram captados R$ 29 milhões, por meio da oferta pública de CRAs, que permitirão à cooperativa dar melhor apoio às atividades dos produtores rurais associados.

fernando.soares@zerohora.com.br

GISELE LOEBLEIN

Fonte: Zero Hora

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *