CAMPO E LAVOURA | Nas competições e na diretoria

Foi também com ajuda da equoterapia que Rodrigo Beduschi (foto à direita), de Porto Alegre, voltou a competir depois do acidente que o deixou com uma lesão medular, impossibilitando o movimento das pernas. Beduschi é o campeão do último paraenduro (modalidade de prova com cavalo) da Associação Gaúcha do Cavalo Árabe, realizado em 2019. E, desde 2020, é presidente do Núcleo Sul da raça quarto de milha.

– Cada raça está trabalhando de alguma maneira para que haja provas de inclusão.

Apesar disso, Tatiana Capra de Castro, vice-presidente da Federação Gaúcha de Esportes Equestres, entende que ainda há "muito para avançar".

– Muito poucas escolas têm cavalos e equipamentos apropriados, e eu acredito que também não existe muita divulgação dessa parte de ser um esporte onde a pessoa com deficiência pode participar, pode se incluir – complementa Tatiana.

gisele.loeblein@zerohora.com.br

GISELE LOEBLEIN

Fonte: Zero Hora

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *