CAMPO E LAVOURA | Mudanças para evitar aglomerações no Interior

Depois do registro de aglomerações nas inspetorias veterinárias no interior do Rio Grande do Sul, medidas vêm sendo adotadas para tentar evitar a corrida de produtores a essas unidades em tempos de necessidade de prevenção contra o coronavírus. A partir de hoje, novas regras deverão vir com instrução normativa a ser publicada pela Secretaria da Agricultura.

O documento reforça práticas recomendadas desde a semana passada e amplia ações a serem executadas por meio eletrônico. Os escritórios – são 250 inspetorias – terão apenas um servidor atuando, em horário diferenciado (veja quadro ao lado). Depois, solicitações podem ser feitas por e-mail ou WhatsApp.

– Nos antecipamos a tomar essas medidas (vídeo foi publicado em redes sociais). Como o Ministério da Agricultura normatizou questões relacionadas a isso, ficamos respaldados. Agora, a secretaria publicará normativa com as regras – explica Antonio Carlos de Quadros Ferreira Neto, diretor do Departamento de Defesa Agropecuária da pasta.

O produtor poderá pedir urgência em determinadas solicitações. Por exemplo: para emitir a guia de trânsito animal de forma virtual, ele precisa comprovar a vacinação contra a febre aftosa. Então, o pecuarista poderá pedir celeridade no lançamento da informação no sistema. A guia emitida pela secretaria será enviada via mensagem pelo telefone, sem necessidade de impressão.

Preocupada com o movimento elevado registrado nos primeiros dias da vacinação nas inspetorias, a Associação dos Fiscais Agropecuários do Estado (Afagro) chegou a solicitar a suspensão da vacinação, o que não ocorreu e não ocorrerá, segundo a Secretaria da Agricultura.

– Já que a interrupção não foi adotada, entendemos que essas medidas ajudam a mitigar riscos. Estamos nos encaminhando para os últimos 10 dias úteis de campanha – observa Pablo Fagundes Ataíde, presidente da Afagro.

Como a procura nas revendas agropecuárias (onde são adquiridas as doses) segue alta, a orientação da entidade é de que os produtores se organizem para que apenas uma pessoa faça a compra para várias, assim como para idosos.

– Também sugerimos que liguem antes de sair casa para o estabelecimento, para saber como está o movimento – acrescenta Ataíde.

Levantamento da Afagro, com base em dados até a madrugada de ontem, aponta que 21% do total de produtores teve a vacinação dos animais contra aftosa homologada.

Fonte: Zero Hora

Compartilhe!