CAMPO E LAVOURA | Mudança à vista

O Rio Grande do Sul realizou entre 16 de março e 30 de abril aquela que pode ser a última campanha de vacinação contra a febre aftosa. O índice de cobertura vacinal foi de 90,09%, percentual acima dos 85% considerados satisfatórios pelo Ministério da Agricultura e que ainda deve crescer, já que a atualização dos números no sistema segue sendo feita

No último dia 30 de abril, o Ministério da Agricultura deu aval para que os gaúchos deixem de vacinar o rebanho. Pelas regras publicadas, não podem mais ser aplicadas doses da vacina, nem pode ser feita a comercialização. Estoques também precisam ser lacrados

Outra alteração é a proibição do trânsito de animais vindos de Estados que ainda vacinam, salvo exceções previstas

Em agosto, nova vistoria será feia pelo Ministério e, a partir dela, se saberá se o processo continua. O status de livre da doença sem vacinação é concedido pela OIE, e poderá ser obtido em maio de 2021

gisele.loeblein@zerohora.com.br

GISELE LOEBLEIN
Fonte: Zero Hora