CAMPO E LAVOURA – Mortandade de abelhas preocupa

O projeto de lei para incentivo à produção do etanol, assinado ontem pelo governador Eduardo Leite, é o combustível aguardado para fazer andar 10 usinas no RS. A redução pela metade do ICMS é um dos estímulos. Presidente da Frente Parlamentar em Defesa da Produção e Autossuficiência de Etanol, Elton Weber destacou a construção do texto "a muitas mãos" e diz haver potencial para aumentar a produção em 40% nos próximos cinco anos.

Os casos de mortandade de abelhas atendidos pela fiscalização agropecuária mais do que dobraram no Estado. Foram 48 ocorrências relatadas à Secretaria da Agricultura, ante 23 em 2019. Desse total, 14 ainda aguardam laudos da análise. Das outras 34, 29 deram positivo para resíduo de agrotóxicos. Em 25 foi verificada a presença do inseticida fipronil.

Responsável pelo Programa de Sanidade Apícola da secretaria, Diehl diz que a situação preocupa "porque há apicultores perdendo as colmeias e a produção".

A engenheira agrônoma Liese Vargas, diretora da Associação dos Fiscais Agropecuários do RS, avalia que a contaminação pode estar ocorrendo de forma acidental, quando a abelha visita a flor para obter o pólen, ou por má aplicação ou uso incorreto desses produtos:

– Isso preocupa, pois muitas culturas agrícolas dependem exclusivamente da polinização feita pelas abelhas.

gisele.loeblein@zerohora.com.br

GISELE LOEBLEIN

Fonte : Zero Hora

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *