CAMPO E LAVOURA – Imagem e semelhança

Era para ser uma homenagem, mas a escolha da imagem para o post do dia do Agricultor, comemorado ontem, provocou reação adversa e acabou sendo retirado do ar. A foto, publicada nas redes sociais da Secretaria Especial de Comunicação Social (Secom) do Planalto, mostrava um homem no campo com uma espingarda sobre o ombro. Além de não conversar com a mensagem, que ressaltava o trabalho de quem garantiu comida à mesa na pandemia, estava longe de ser uma representação da atividade, pontuaram representantes de entidades. Ainda que o porte de arma para garantir a segurança pessoal em propriedades seja uma bandeira do setor.

– Em um ano e meio de pandemia, nunca se falou uma vírgula sobre desabastecimento ou seja, o produtor brasileiro está abastecendo o Brasil e o mundo. Essa é a comemoração, esse é o orgulho. Temos melhores simbologias para nos representar – afirma Paulo Pires, presidente da Federação das Cooperativas Agropecuárias do RS.

Gedeão Pereira, presidente da Federação da Agricultura do Estado, pontua que "quanto às questões de segurança, o produtor sempre solicitou o direito de ter arma", mas que isso não significa que a imagem usada possa retratá-lo:

– Produtor rural não anda com arma no ombro. Anda na direção do trator ou nas rédeas do cavalo. É um homem pacífico que vive para fazer o desenvolvimento.

Carlos Joel da Silva, presidente da Federação dos Trabalhadores na Agricultura do Estado, também disse não se sentir representado pela imagem publicada:

– Agricultor não é um caçador, é um produtor. O Rio Grande do Sul gostaria de ver no ombro ou uma pá do produtor de arroz, ou uma enxada, mas nunca uma arma representará o agricultor.

Rui Valença, Integrante da diretoria-executiva da Confederação Nacional dos Trabalhadores na Agricultura Familiar, classificou como "desrespeitosa" a publicação.

– É um prato cheio para detratores e concorrentes. Passa uma sensação de um agronegócio onde a insegurança é total – acrescenta José Luiz Tejon, jornalista, professor e palestrante especialista em marketing do agro.

A secretaria se manifestou à noite, por meio de nota. Disse que "alterou uma imagem da série de publicações em homenagem ao Dia do Agricultor" porque a anterior "em referência à segurança no campo, deu margem a interpretações fora do contexto".

gisele.loeblein@zerohora.com.br

GISELE LOEBLEIN

Fonte : Zero Hora

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *