CAMPO E LAVOURA | Exportações de ovos têm trimestre de alta

Os resultados do início de 2021 têm sinalizado que o setor de proteína animal terá mais um ano de resultados expressivos nas exportações. Depois de frango, suíno e bovino, dados dos embarques de ovos mostram aumento na casa de três dígitos no primeiro trimestre. O volume de 3,77 mil toneladas (somando in natura e processados) representa 142,5% a mais do que em igual período de 2020, segundo a Associação Brasileira de Proteína Animal (ABPA). Cenário repetido em receita: os US$ 5,01 milhões representam alta de 154,3%.

Os Emirados Árabes Unidos reinaram absolutos na liderança como principal destino, com uma fatia de 72,9% do total embarcado. A expectativa do setor para o ano cresce com a abertura recentemente anunciada por Argentina e Chile para ovos in natura.

– A proximidade geográfica deve ser um fator logístico que impulsionará as vendas para as nações do Mercosul, melhorando ainda mais o desempenho – entende Ricardo Santin, presidente da ABPA.

E que também alimenta a perspectiva de impacto positivo para o Rio Grande do Sul. O Chile é um potencial comprador, observa José Eduardo dos Santos, presidente-executivo da Associação Gaúcha de Avicultura (Asgav).

Diferentemente do país, o Estado teve queda em volume nos embarques de ovos de janeiro a março, de 33,5%. O faturamento também caiu, mas bem menos: 4,2%. Reflexo, segundo a Asgav, da menor venda do produto in natura, com mais negócios envolvendo ovos processados, que têm maior valor. E sque ão apontados como tendência.

gisele.loeblein@zerohora.com.br

GISELE LOEBLEIN

Fonte: Zero Hora

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *