CAMPO E LAVOURA – Expodireto se prepara para a versão híbrida

Com o objetivo de realizar a edição da Expodireto-Cotrijal no formato híbrido, com atividades presenciais e virtuais, os organizadores da feira apresentaram em novembro do ano passado um protocolo sanitário para o Estado. Um conjunto de medidas foi preparado para que o evento pudesse ser realizado de 1º a 5 de março em Não-Me-Toque, no Norte. Ontem, os organizadores confirmaram ter recebido o aval para que a edição tome forma nesses parâmetros.

– Saiu a autorização do comitê de crise – afirmou Nei César Mânica, presidente da Expodireto-Cotrijal.

Medição de temperatura, disposição de álcool em gel, uso obrigatório de máscara, abertura ao ar livre e redução da ocupação da praça de alimentação e do restaurante são algumas das medidas que fazem parte do protocolo sanitário para a Expodireto-Cotrijal. Fóruns tradicionais, como o do milho e o da soja, terão restrição do número de participantes presenciais e transmissão online, para que possa ser vista de forma remota.

A cerimônia de abertura, que deve contar com o presidente Jair Bolsonaro, será realizada na área aberta do parque, e não dentro do auditório, como tradicionalmente ocorre.

– Vamos montar um palco, do lado de fora – explica Mânica.

Delegações estrangeiras também não participam desta edição. No ano passado, a feira foi a única a sair, antes da chegada da pandemia. O modelo híbrido, mas sem a participação do público externo, foi a solução adotada para a Expointer, por exemplo. Em 2020, a feira teve, nos cinco dias, 256 mil visitantes e somou R$ 2,65 bilhões.

Vai dar praia para os orgânicos aos sábados no Litoral

A partir de amanhã, veranistas do Litoral Norte poderão contar com um novo canal de venda de produtos orgânicos em Xangri-Lá. Uma feira "pocket", com itens produzidos em duas propriedades certificadas da região será realizada, aos sábados, das 8h ao meio-dia, na calçada da Igreja São Pedro, na Avenida Paraguassu, 1.367, em frente à praça central.

Proprietários da Vida Orgânicos, que fica em Osório, Kiko Souza Ferreira e Flávia Requião explicam que a ideia veio a partir de pedidos dos consumidores. No ano passado, haviam participado de uma feira em Xangri-Lá, e as pessoas perguntavam a respeito.

– Vai ter um pouco de tudo: melancia, maracujá, morango. Verduras, legumes, frutas e as pancs (plantas alimentícias não convencionais) – conta Flavia.

Com eles estarão as irmãs Maria Tereza Crespo Fitz e Angela Maria Crespo, do sítio Paraíso de Bela Vista, de Caraá.

no radar

Com o plantio da soja encerrado no Rio Grande do Sul, agora é torcer para que a chuva siga comparecendo. No caso do grão, a perspectiva de uma boa safra se mantém. Conforme levantamento da Emater, as precipitações, apesar de esparsas e de baixos volumes, têm contribuído para a evolução do cultivo. A maior parte das lavouras, 69%, está em na fase de germinação/desenvolvimento vegetativo.

R$ 871,3 bilhões foi a cifra do Valor Bruto da Produção Agropecuária (VBP) de 2020, a maior dos últimos 32 anos, conforme o Ministério da Agricultura. O crescimento foi de 17% em comparação com 2019, puxado por milho, soja e carnes bovina e suína. As primeiras estimativas para 2021 indicam aumento de 10,1% no VBP.

No mapa do Estado

Dentro da proposta de reestruturação do Banco do Brasil, o agronegócio será um do focos do atendimento especializado. A meta é instalar 14 agências exclusivamente voltadas às necessidades do produtor rural. Três delas ficarão no Rio Grande do Sul nos municípios de Ijuí, Passo Fundo e Santa Maria. O direcionamento ao setor não é por acaso. A instituição tem a liderança nacional do crédito rural, com fatia substancial de 63,8%.

Em entrevista à coluna, os diretores Antonio Chiarello, de Agronegócios, Carla Nesi,de Clientes, e Julio Cesar Rodrigues da Silva, de Varejo, detalharam como será o modelo voltado ao segmento, que inclui a ampliação das carteiras especializadas, soluções digitais e novos produtos.

– Toda estratégia de especialização parte do princípio de comportamento do consumidor. A ideia é ter atendimento completo, físico, digital, de forma integrada. Para que o cliente possa escolher – explica Carla.

A implementação dessas unidades físicas será feita de forma escalonada, nos próximos três meses. E a escolha dos locais levou em consideração fatores como relevância da carteira e potencial de crescimento nos negócios. No Estado, a equipe especializada somará 300 funcionários.

– É feita toda uma abordagem para que tenham essa especialização, podendo trazer as melhores soluções, prestando assessoria e consultoria – reforça Chiarello.

Como haverá o enxugamento de agências tradicionais, a coluna perguntou como fica a situação de agricultores que porventura estejam em cidades em que a unidade será fechada. Silva explica que, "mesmo onde a rede física será transformada ou encerrada, busca-se ter contato":

– Seja por lojas BB ou por correspondentes bancários. Ou mesmo nas visitas às propriedades. Estamos cuidando das questões geográficas e mantendo a complementariedade. Queremos é fortalecer o agro.

GISELE LOEBLEIN

Fonte : Zero Hora

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *