CAMPO E LAVOURA – Estoques de soja apertados no Brasil

Números das exportações brasileiras de soja em agosto reforçaram a preocupação com a oferta da matéria-prima para atender a demanda do mercado interno. No mês passado, a coluna já havia pontuado essa inquietação. O grão é insumo para diversos produtos, do óleo de cozinha ao biocombustível. E, embora da colheita no país tenha sido recorde (120, 88 milhões de toneladas segundo a Companhia Nacional de Abastecimento), o estoque é considerado justo.

– Todos os números indicam estoques bem apertados. Há um quadro inédito de pouquíssima, oferta de soja – pontua Luiz Fernando Gutierrez Roque, analista da Safras & Mercado.

Nesse cenário, as cotações em reais não param de subir e já há locais, no mercado interno, em que o valor da saca supera o da exportação. Situação que ocorre em pontos do Rio Grande do Sul, que teve a produção encolhida em mais de 40% pela estiagem. O que, sem dúvida, faz falta.

A estimativa da Safras & Mercado indica estoque final, em 31 de dezembro, de 961 mil toneladas de soja, incluindo as importações realizadas e considerando uma produção de 125,34 milhões de toneladas.

– Neste momento, o que segura a cotação, é a oferta restrita. O câmbio ajudou na valorização, mas hoje não é o principal fator. Já exportamos quase tudo que era possível e ainda há demanda interna – avalia Roque.

O volume de soja processado no Brasil em 2020 será recorde. Segundo a Associação Brasileira da Indústria de Óleos Vegetais (Abiove) deve totalizar 44,6 milhões de toneladas, com produção de cerca de 9 milhões de toneladas de óleo de soja. A entidade aponta que não há limitação do produto no país.

Campanha de entidade põe a colher na mesa de churrasco

O segredo de um bom churrasqueiro está na qualidade da carne, não na faca escolhida para cortar. Essa é a premissa da campanha da Associação Brasileira de Angus (ABA), que traz imagens (foto) de um entrecot cercado de colheres. Gerente do programa Carne Angus Certificada, Ana Doralina Menezes explica que o slogan ressalta o atributo da maciez:

– Daí a ideia de que não precisa ter faca boa, e sim, carne boa.

A ação tem por objetivo, ainda, conscientizar o consumidor sobre a autenticidade do produto. Segundo Ana Doralina a pirataria aumentou na pandemia:

– O selo de certificação é a garantia, um atestado de que a carne passou por avaliação de um técnico da associação e cumpriu com requisitos de qualidade.

No Brasil, são 17 parceiros em 34 frigoríficos. No Estado, são cinco marcas (Coqueiro, Cotripal, Marfrig, Silva e Zimmer).

no radar

A Associação Brasileira de Criadores de Cavalos Crioulos elegeu a nova diretoria para o biênio 2020-2022. O criador Onécio Prado Júnior, da Estância Tamareira, de Santa Rita do Passa Quatro (SP), assume a presidência, sucedendo Francisco Fleck. Essa é a primeira vez que um criador paulista assume a entidade. A posse do grupo será no dia 12 de outubro na sede da entidade, em Pelotas.

em preparação à expointer digital, foram divulgados o regulamento e as exigências sanitárias para a exposição de animais, parte da programação, no Parque Assis Brasil, de 26 de setembro a 4 de outubro. As categorias de animais são: bovinos, ovinos, equinos, bubalinos e aves. as inscrições devem ser feitas por meio das associações de criadores.

GISELE LOEBLEIN

Fonte : Zero Hora

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *