CAMPO E LAVOURA – Estado teve 17 focos de gafanhotos

Identificadas as espécies de gafanhotos que apareceram no noroeste do Rio Grande do Sul, balanço parcial indica 17 focos em seis municípios da região (Bom Progresso, Campo Novo, Chiapetta, Coronel Bicaco, Santo Augusto e São Valério do Sul). Levantamento a campo da Secretaria da Agricultura, de 30 de novembro a 2 de dezembro, contabiliza 25 pontos monitorados – em sete não houve incidência. Do total vistoriado, 4,74 mil hectares, o maior percentual é de mata nativa 58,26%, com áreas de soja, milho e resteva de culturas de inverno respondendo por 41,74%. Os danos lavouras não são considerados expressivos.

De origem endêmica, o desenvolvimento dos gafanhotos pode ter sido favorecido pelo tempo. Com previsão de La Niña, com possível estiagem e altas temperaturas, a intensificação da infestação e novos surtos não são descartados. Por isso, mantém-se o monitoramento dos técnicos.

O Instituto Rio Grandense do Arroz (Irga) está sob nova direção. O novo presidente e os diretores administrativo, comercial e técnico tomaram posse ontem. Engenheiro agrônomo, Ivan Bonetti, que era diretor de Política Agrícola e Desenvolvimento Rural da Secretaria da Agricultura, assumiu o comando. Entre os desafios da gestão está a reestruturação da autarquia.

gisele.loeblein@zerohora.com.br

GISELE LOEBLEIN

Fonte : Zero Hora

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *