CAMPO E LAVOURA – Espaço aberto

Itens produzidos em assentamentos da reforma agrária passam a ter um espaço de venda na Capital. Parte de um projeto nacional do Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST), o Armazém do Campo de Porto Alegre se soma a outros sete já existentes no país, com inauguração oficial marcada para hoje. Localizado na Rua José do Patrocínio, no bairro Cidade Baixa, o estabelecimento de 208 metros quadrados tem a proposta de apresentar os alimentos cultivados e aproximar o consumidor do agricultor, explica o coordenador Sidnei Santos:

– Dentro dessa lógica, também haverá feira de produtores, nas terças e quintas-feiras.

Estarão nas prateleiras também artigos da agricultura familiar e de cooperativas parceiras. A produção comercializada é preferencialmente orgânica e exclusivamente não transgênica, completa o coordenador. Hortaliças serão fornecidas por assentamentos mais próximos, da Região Metropolitana, como os de Nova Santa Rita, Viamão e Eldorado do Sul. Mas a ideia é ter itens de todo o país nas prateleiras.

– Estamos avançando na estratégia de ter produtos de Norte a Sul, de todos os assentamentos do país – afirma Santos.

Neste momento, em razão do quadro da pandemia, o Armazém do Campo funcionará das 9h às 17h, de segunda a sábado – com respeito aos protocolos, como uso de máscara e disponibilização de álcool gel. A partir do dia 15, nas terças e quintas, entre 16h e 19h, ocorrerá a feira direto do produtor. Há ainda um espaço para café/bar. Quando a situação permitir, a ideia é também promover no espaço interações e eventos culturais.

A live de inauguração pode ser acompanha no perfil da loja no Facebook (facebook.com/armazemdocampo.poa).

NO RADAR

Ainda é tempo de colheita de milho no Rio Grande do Sul. Dado semanal da Emater aponta que o percentual chegou a 92% do total semeado. A chuva registrada acabou atrasando os trabalhos. O número é um ponto percentual abaixo da safra passada e um ponto percentual acima da média. Outros 8% das lavouras do Estado estão na fase de maturação.

gisele.loeblein@zerohora.com.br

GISELE LOEBLEIN

Fonte : Zero Hora

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *