CAMPO E LAVOURA | Direção do consumo

Grandes produtores continuarão sendo os maiores consumidores de carne bovina em um futuro próximo, mas o apetite

crescerá em ritmo acelerado na direção da Ásia, sobretudo da China. É o que mostra estudo feito pela assessoria econômica da Federação da Agricultura do Estado (Farsul) no período de 1990 a 2028. Na quantidade, se manterão longe do topo da lista, ocupado pela Argentina, mas terão crescimento de 583% nesse intervalo.

– Per capita é pouco ainda, mas o impacto que isso vai causando na demanda é muito grande. É exponencial – avalia Antonio da Luz, economista-chefe da Farsul.

Esse é o primeiro ponto destacado pelo estudo. O outro é o de que o consumo é elevado em países que produzem carne, caso da Argentina, Estados Unidos e Brasil, que serão os três primeiros no ranking. Há, no entanto, estabilidade no apetite.

– Consome carne bovina quem produz carne bovina. Ponto. Tem essa discussão de que os chineses vão nos deixar sem carne. E isso não é real. Ficaremos sem carne se o produtor não tiver estímulo para produzir – afirma Luz.

DIRETOR-EXECUTIVO DA ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE PROTEÍNA ANIMAL, RICARDO SANTIN FOI NOMEADO PARA O COMANDO DA CÂMARA SETORIAL DA CADEIA PRODUTIVA DE AVES E SUÍNOS DO MINISTÉRIO DA AGRICULTURA. ELEITO POR UNANIMIDADE, TERÁ ENTRE AS MISSÕES A CONTINUIDADE DA INTEGRAÇÃO DO SETOR E O DESAFIO DE LIDAR COM A CRISE GLOBAL GERADA PELA COVID-19.

gisele.loeblein@zerohora.com.br

GISELE LOEBLEIN
Fonte: Zero Hora