CAMPO E LAVOURA – Definições sobre a carne argentina à vista

Depois de suspender as exportações de carne bovina, o governo da Argentina deve apresentar amanhã um plano para a pecuária e um novo esquema para as vendas externas. Ao jornal Clarín, o ministro de Desenvolvimento Produtivo argentino, Matías Kulfas, confirmou que alguns cortes serão reservados para o mercado interno.

"Vamos anunciar medidas, mas também colocar outras à mesa para discutir com o setor, entre elas incentivos fiscais, crédito para que os produtores invistam em tecnologia e no melhoramento de pastagens e incentivos para aumentar o tamanho médio dos animais que vão para o abate", disse o ministro ao jornal argentino, que aponta sete cortes como sendo os que devem estar a lista dos que terão restrição de venda para o mercado externo.

O embargo às exportações, por um período de 30 dias, foi anunciado em 17 de maio. Em resposta, produtores do país vizinho organizaram a paralisação das vendas de gado para pressionar o governo.

O maior temor é o de uma repetição do cenário verificado nas gestões de Néstor e Cristina Kirchner, entre 2006 e 2015, quando as restrições aos embarques se traduziram em desestímulo à atividade – com redução do rebanho. Por consequência, encolheu a oferta no mercado interno e gerou efeito de alta nos preços, o oposto do desejado. No mercado externo, o produto teve o espaço ocupado por outros players.

gisele.loeblein@zerohora.com.br

GISELE LOEBLEIN

Fonte ; Zero Hora

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *