CAMPO E LAVOURA | Controle lá, monitoramento cá

Já estão em vigor regras estaduais de controle, caso a nuvem de gafanhotos chegue ao Rio Grande do Sul. Instrução normativa foi publicada na sexta-feira esclarecendo ações, em linha com as portarias previamente publicadas pelo Ministério da Agricultura. Um dos pontos importantes é o da comunicação obrigatória de surtos por parte do produtor.

– Sabemos que a nuvem tem mobilidade grande e, para isso, é necessária a comunicação. Como os produtores são as pessoas que estão na ponta, é imprescindível que informem eventuais ocorrências – diz Ricardo Felicetti, chefe da Divisão de Defesa Sanitária Vegetal da secretaria.

O texto também lista os canais, definidos pelo Comitê de Emergência Fitossanitária para receber as comunicações (veja acima). A constatação do surto e autorização para aplicação será feita por essa comissão.

– A orientação, atualmente, é para que o produtor se mantenha vigilante – diz Felicetti.

Na Argentina, aplicações terrestres (foto) eliminaram parte da nuvem. Como há previsão de tempo frio e chuvoso, a expectativa é de que não haja movimentação. Na sexta, estava a 98 quilômetros do Rio Grande do Sul.

gisele.loeblein@zerohora.com.br

GISELE LOEBLEIN

Fonte: Zero Hora

Compartilhe!