CAMPO E LAVOURA | Controle de inimigos conhecidos e ameaças

A paranaense Michelle Cristine Rodrigues Gomes (foto acima) atua como fiscal agropecuária no Rio Grande do Sul há seis anos. Com pós-graduação em Proteção de Plantas, a agrônoma atua na região de Dom Pedrito, na Campanha. Mais recentemente, quando a nuvem de gafanhotos se aproximou do Uruguai, também ficou em alerta. Uma das diferentes funções desempenhadas pelos agentes.

– Periodicamente, quando começa a safra soja e de milho, temos programas de monitoramento – conta Michelle.

Para essas culturas, as ameaças recorrentes vêm da ferrugem asiática (fungo), mosca da haste (inseto) e a Amaranthus palmeri (planta daninha). No radar do controle também estão pragas que ainda não desembarcaram no território gaúcho. Uma delas é o cancro da videira, bactéria que ameaça a uva, produto importante da região da Campanha.

gisele.loeblein@zerohora.com.br

GISELE LOEBLEIN

Fonte: Zero Hora