CAMPO E LAVOURA | Conexão à frente

Prevista para desembarcar no Sul em 2021, a ConectarAGRO, que reúne empresas com o objetivo de levar conectividade ao meio rural, ganhou novo status. Virou associação, permitindo que outras companhias interessadas possam se integrar e dar alcance ainda maior ao projeto.

– Continuamos apoiando uma tecnologia aberta, acessível e simples, que conecta pessoas e máquinas, e que atenda às aplicações no campo da melhor maneira possível – afirma Gregory Riordan, presidente da Associação ConectarAGRO.

A proposta nasceu no ano passado, durante a Agrishow, reunindo AGCO, Climate FieldView, CNH Industrial, Jacto, Nokia, Solinftec, TIM e Trimble. Chegou ao final de 2019 com 5,1 milhões de hectares conectados, superando a meta. Essa área se estende por oito Estados brasileiros (Bahia, Goiás, Maranhão, Minas Gerais, Mato Grosso do Sul, Mato Grosso, São Paulo e Tocantins), beneficiando 218 municípios e cobrindo 50 mil propriedades (88% em com menos de cem hectares). A estimativa é de mais de meio milhão de pessoas alcançadas.

No Sul, incluindo o território gaúcho, há possibilidade de parcerias com cooperativas. No lançamento da associação, os integrantes falaram sobre o quanto a pandemia acelerou o projeto – a comunicação virtual é necessária, e os gargalos para a conexão no campo, conhecidos.

– A situação atual acelerou muito a demanda por tecnologias digitais. Aconteceu na cidade e também no meio rural. Obviamente, com afastamento social, dificulta a implementação da infraestrutura. Se em um primeiro momento desacelera, por outro, cria pressão para a conectividade – avalia Riordan.

A iniciativa prevê acesso à banda larga 4G de 700 MHz por meio da instalação de torres. Cada projeto é desenvolvido de acordo com necessidades específicas, podendo ser individual ou via cooperativas. O custo, em média, é de meia saca de soja por hectare.

NO RADAR

A Centrais de Abastecimento do Rio Grande do Sul (Ceasa) realiza, na segunda, dia 6, licitação para a venda de 58 espaços em 14 setores do complexo na capital.

Os vencedores serão aqueles que fizerem as maiores ofertas.

Para participar, devem entregar documentação para a Comissão Especial de Licitação até as 10h, no auditório da Ceasa, na Capital.

gisele.loeblein@zerohora.com.br

GISELE LOEBLEIN

Fonte: Zero Hora

Compartilhe!