CAMPO E LAVOURA | Brasil alimenta negócios em Dubai

O Oriente Médio é importante parceiro comercial da indústria de carne brasileira – no ano passado, foi destino de 34,5% dos embarques de frango e de 64,1% dos ovos. É por isso que a Gulfood, feira de alimentação realizada em Dubai, nos Emirados Árabes Unidos, é considerada grande vitrine para o setor.

A Associação Brasileira de Proteína Animal levou time de 14 empresas de aves, suínos e ovos (dessas, três com sede no Rio Grande do Sul e outras duas, com unidades). Diariamente (com exceção do último dia), são feitas degustações. Em média, são 1,6 mil sanduíches shawarma (um tipo de sanduíche árabe) e 300 omeletes (foto). Para fazer o prato é usado ovo líquido. O ingrediente fica em caixas semelhantes às do leite longa vida. Cada embalagem de um litro permite produzir entre 15 a 20 omeletes, explica Ricardo Santin, diretor-executivo da ABPA, que participa do evento.

As provas são servidas em ação comandada pela entidade em parceria com a Apex-Brasil, no projeto Brazilian Chicken. O evento vai até a quinta-feira.

No primeiro mês deste ano o Brasil exportou total de 68,5 mil toneladas de carne suína, 41% a mais do que igual mês de 2019. No frango, as 323,8 mil toneladas representam alta de 14,9%.

NO RADAR

Hoje será oficialmente apresentada a parceria entre a Federação Brasileira das Associações de Criadores de Animais de Raça e a empresa Squadra Gestão de Riscos.Antecipada pela coluna, viabilizará o uso da plataforma Be On, ferramenta colaborativa, como recurso para garantir a segurança no campo.

R$ 7,5 mil

foi o valor arrecadado pela ONG Semear com estacionamento na Abertura Oficial da Colheita do Arroz, em Capão do Leão, sul do Estado. A organização atende crianças em situação de vulnerabilidade. A quantia deve ser usada para investimentos em melhorias e conforto no atendimento.

gisele.loeblein@zerohora.com.br 3218-4709

GISELE LOEBLEIN

Fonte: Zero Hora

Compartilhe!