CAMPO E LAVOURA | Avistados novamente

A identificação de gafanhotos da espécie migratória sul-americana na Argentina amplia a atenção da equipe da Secretaria da Agricultura do Rio Grande do Sul. Desde o ano passado, quando a ameaça surgiu com força no país vizinho, técnicos fazem o monitoramento.

Conforme Ricardo Felicetti, chefe da Divisão de Defesa Vegetal da pasta, autoridades do Serviço Nacional de Sanidade e Qualidade Agroalimentar (Senasa) detectaram no dia 30 de março exemplares jovens de Schistocerca cancelatta, mesma espécie das nuvens migratórias registradas no ano passado e que traziam preocupação por conta da mobilidade, com ameaça de entrada no Estado.

Por ora, os novos relatos, feitos por produtores argentinos de Chaco, Formosa e do oeste, trazem alerta no país vizinho, mas não devem ser motivo de preocupação no Estado:

– Frente aos monitoramentos e à situação de ocorrência de formas jovens na Argentina, distante pelo menos 600 quilômetros do RS, não há risco iminente de ataque de gafanhotos a qualquer cultura vegetal.

A condição de emergência fitossanitária, decretada no ano passado por conta da ameaça das nuvens migratórias na Argentina, segue vigente até junho, podendo ser renovada em caso de necessidade.

– As equipes da secretaria estiveram em monitoramento permanente durante a safra atual, incluindo a verificação de focos de gafanhotos nativos para antecipar qualquer situação de risco – tranquiliza o chefe da Divisão de Defesa Vegetal.

gisele.loeblein@zerohora.com.br

GISELE LOEBLEIN

Fonte: Zero Hora

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *