CAMPO E LAVOURA | As medidas avaliadas para a Expointer

A menos de três meses da data prevista e diante da imprevisibilidade da evolução da covid-19, a única certeza que segue em relação à Expointer 2020 é que ela sairá. A confirmação vem do secretário da Agricultura, Covatti Filho, que falou sobre o assunto, ontem, em edição virtual do Tá Na Mesa da Federasul. O que existe é prazo limite, até o final de setembro, caso tenha de ser modificada a programação original, de 29 de agosto a 6 de setembro.

– Hoje, podemos trazer a garantia de que vai sair. Estamos organizando para que tenha toda a segurança tanto para visitantes quanto para expositores – afirmou Covatti Filho.

Na terça-feira, os protocolos necessários para a realização começaram a ser discutidos. O secretário diz que não se cogita fazer uma Expointer sem público. Poderá, no entanto, haver limitação de visitantes por dia, algo inédito para o evento. Outras modificação avaliada é a venda de ingressos exclusivamente online. A contratação de pessoas para medir a temperatura de quem entra no Parque de Exposições Assis Brasil, em Esteio, e a instalação de túneis de desinfecção são outras hipóteses consideradas. O que efetivamente será utilizado depende de avaliação a ser feita de forma conjunta e em sintonia com a área da saúde.

– Cogitamos tudo. Quem fará os protocolos será a Secretaria da Saúde. Haverá respaldo técnico – observa o secretário.

Com relação à data, a definição não deve demorar a sair. Dos criadores às licitações, é informação crucial. A estimativa é que seja estabelecida em até 10 dias. Outro desafio para essa edição será lidar com a busca de novo status sanitário. Se a auditoria feita pelo Ministério da Agricultura em agosto confirmar a continuidade do processo para a retirada da vacina contra a febre aftosa, a entrada de animais no parque terá implicações. O trânsito de animais vindos de áreas com vacinação, por exemplo, não é permitido, o que impediria a participação de Estados como São Paulo.

Ainda não saiu o convênio que viabilizará testes de diagnóstico de covid-19 nos funcionários da Secretaria da Agricultura. Como publicou a coluna, a pasta quer adotar o procedimento, como ocorre em outras funções essenciais. Na semana passada, exame confirmou o primeiro caso entre servidores, em unidade de São Sepé.

gisele.loeblein@zerohora.com.br

GISELE LOEBLEIN

Fonte: Zero Hora

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *