CAMPO E LAVOURA | Aproveitando até o caroço

Eles costumavam ser descartados após o despolpe, mas viraram fonte de renda para agricultores do Litoral Norte. Caroços de açaí juçara produzido em Três Cachoeiras são insumo para bolsa térmica natural produzida pela Mercur, de Santa Cruz do Sul. Envoltos por algodão orgânico, foram escolhidos para compor o produto após contato com a Universidade Federal do Rio Grande (Furg), que tinha pesquisa sobre plantas nativas em andamento. Aquecida, a bolsa térmica auxilia no tratamento de dores, lesões musculares e processos inflamatórios.

– Ficou comprovado que o caroço se mantém aquecido por mais de 20 minutos, ajudando na termoterapia. Partimos do desafio de criar uma bolsa térmica com o menor impacto socioambiental, e conseguimos – afirma Liciani Lindemayer, coordenadora do projeto na Mercur.

A empresa compra os caroços da Econativa, cooperativa de agricultores ecológicos do Litoral Norte criada em 2005. Duas dessas famílias vivem na comunidade de Morro Azul.Apesar de produzirem para a extração da polpa desde 2006, não tinham retorno econômico com os caroços. Parte era distribuída para plantio e o restante, descartado. Em 2018, amostras foram enviadas à Mercur, que fazia os primeiros protótipos da bolsa térmica. Em 2019 foi consolidada a parceria, e neste ano, segundo Marcelo Vieira, da Agroindústria Morro Azul, 10 mil quilos de caroço foram vendidos a empresa, custando R$0,80 a unidade.

A bolsa térmica, lançada em 2019, também faz parte de enxoval de bebê assinado pela apresentadora Bela Gil. O alcance do produto é motivo de orgulho para os produtores do município.

Estimativa da consultoria Datagro confirma safra de grãos recorde no país neste ano. As 255,01 milhões de toneladas representam alta de 2% sobre o ano passado. A neutralidade meteorológica no centro e norte do Brasil contribuiu para esse resultado. A exceção veio do Rio Grande do Sul e de Santa Catarina, que sofreram com a estiagem no verão, e Paraná e Mato Grosso do Sul, na safra de inverno de milho.

gisele.loeblein@zerohora.com.br

GISELE LOEBLEIN
Fonte: Zero Hora