CAMPO E LAVOURA | Anos de mudanças

O cancelamento da Expointer obrigou organizadores a reinventarem as comemorações de um marco importante. Em 29 de agosto de 1970, a ainda Exposição Estadual de Animais, realizada no bairro Menino Deus, na Capital, mudou-se para o parque Assis Brasil, em Esteio. O novo endereço deu envergadura e atraiu público para o evento. A festa dos 50 anos terá de ser sem convidados, em razão da covid-19. A exposição em homenagem, com julgamentos e provas das raças, ocorre de 26 de setembro a 4 de outubro, e terá transmissão online.

Presente na inauguração como ministro da Agricultura, Luiz Fernando Cirne Lima conta como foi o processo que levou ao novo endereço.

RODÍZIO

As exposições estaduais de animais eram inicialmente realizadas com rodízio por cidades do Rio Grande do Sul. Em 1955, fixa-se em Porto Alegre.

INSPIRAÇÃO

Depois da visita, em 1967, de produtores gaúchos à Royal Show, na Inglaterra, a ideia de ampliar o espaço da exposição gaúcha ganha força.

– A Royal Show era uma exposição gigantesca, de agronegócio da forma como se entende hoje – conta Cirne Lima.

Entre os criadores que foram ao evento estavam Lauro Macedo, Dorval Ribeiro e Fernando Osório. Na volta, começaram a interagir com a Secretaria da Agricultura, conduzida por Luciano Machado.

PARA ONDE IR

– O secretário abraçou a ideia (de mudança de local) e fez um grupo de trabalho com criadores. Ele e o Ezelino Arteche, que era diretor do departamento de produção animal. Aí, começou a discussão do local – lembra.

Diferentes opções estiveram no radar: as zonas norte e extremo sul da Capital, o Vale do Sinos, a cidade de Guaíba. No final, optou-se por área de 64 hectares da família Kroeff, em Esteio.

INAUGURAÇÃO

– Se existe uma lembrança de 1970 é a quantidade de barro que os visitantes tinham de enfrentar. Essas ruas hoje pavimentadas eram um barral – conta Cirne Lima, que participou da inauguração do parque como Ministro da Agricultura, cargo que ocupou de 1969 a 1973.

Mesmo com as dificuldades e a distância, "o clima era de alto astral, as pessoas estavam felizes em ter um novo parque", afirma.

REPERCUSSÃO

A transferência para Esteio, no entanto, não foi uma unanimidade. Também houve contrariedade. Segundo Cirne Lima, "uma minoria":

– Teve gente que não concorreu em protesto.

DIFERENCIAL

Dois anos depois da ida para o parque, a feira virou Expointer. A inovação em relação a eventos tradicionais, como o de Palermo, na Argentina, foi a de estender o evento por dois finais de semana. De forma planejada, observa Cirne Lima, se trabalhou para que houvesse uma aproximação do urbano com o rural:

– O fim de semana era para atrair as pessoas da cidade. Foi uma coisa planejada, organizada.

Colaborou Rossana Ruschel

GISELE LOEBLEIN

Fonte: Zero Hora

Compartilhe!