CAMPO E LAVOURA | Alerta do tempo

Deverá ser de 23% o avanço da área de trigo no Rio Grande do Sul nesta safra de invenro, aponta levantamento divulgado ontem pela Companhia Nacional de Abastecimento (Conab). A estimativa se alinha a outros prognósticos que indicavam crescimento de dois dígitos, como o da Emater. Com isso, o espaço dedicado à cultura seria acima de 900 mil hectares.

O tempo chuvoso é, neste momento, um obstáculo para a finalização da semeadura, que na semana passada era de 87% do total previsto para o ciclo. O sinal de alerta está ligado sobretudo nas áreas que realizam o plantio por último no Estado. A janela prevista pelo zoneamento de risco agroclimático, do Ministério da Agricultura, termina amanhã.

Outro problema é que nas regiões recém-cultivadas as precipitações acabam levando nutrientes e impedindo que os produtores façam os tratos de cultivo necessários.

– Ainda tem muita água para rolar na safra do trigo, mas a largada não está sendo boa. Neste momento, não tenho certeza nem da área, e nem de potencial produtivo – observa Hamilton Jardim, presidente da Comissão de Trigo da Federação da Agricultura do Estado (Farsul).

A fase decisiva, em que o excesso de umidade pode representar maiores estragos, vem mais adiante, na floração e no enchimento de grão.

Na região das Missões, primeira a semear, as lavouras estão na fase vegetativa, em que excesso de chuva não é problema, observa Paulo Pires, presidente da Federação das Cooperativas Agropecuárias do RS (Fecoagro):

– Nessa região está havendo um bom desenvolvimento.

gisele.loeblein@zerohora.com.br

GISELE LOEBLEIN

Fonte: Zero Hora

Compartilhe!